Relato de viagem

Como é Montreal no inverno: viver, imigrar e visitar - as impressões de um viajante

Montreal é uma cidade mundialmente famosa, e muitos até pensam que ela é a capital do Canadá. É uma cidade organizada, moderna e charmosa, sendo um reduto da cultura francófona no país. Apesar de ser a maior cidade do Quebec ela não nem mesmo a capital dessa província.

O Quebec fica no leste do Canadá e a cidade de Montreal fica no sul da província, bem próxima à fronteira com os Estados Unidos. Apesar da província fazer parte do Canadá ela tem sua própria língua (o francês), cultura, instituições e regras. Podemos dizer que o Quebec é praticamente uma nação dentro do Canadá.

imigração e QUALIDADE DE VIDA

O Canadá é conhecido por proporcionar a seus habitantes uma alta qualidade de vida, segundo os índices de desenvolvimento humano, IDH, e no Quebec não é diferente. Apesar disso há uma clara diferença política e cultural na província francófona em relação ao resto do país. Em quanto as outras regiões do Canadá tem uma cultura mais próxima à dos americanos o Quebec tem valores mais socialistas e o governo e os sistemas de amparo social evidenciam claramente isso.

vista de Montreal do oratório vista de Montreal do oratório

Aos olhos de um visitante, como eu, Montreal me pareceu uma cidade acolhedora,  bem limpa e funcional. O que é incrível é que eles conseguem manter a cultura e o estilo de vida quebequense mesmo grande parte da população sendo de imigrantes. O Quebec, além do frio e da qualidade de vida é famoso por ter um programa de imigração que podemos chamar de "agressivo". O governo da província realiza palestras em vários lugares do mundo explicando sobre o programa de imigração e convidando trabalhadores qualificados e sua famílias a irem morar lá, e esse programa tem se mantido ativo por anos, fazendo com que grande parte da população da província, assim como no resto do país, seja de imigrantes.

O programa de imigração é convidativo mas por outro lado muito exigente e para os brasileiros a principal barreira é o idioma, já que o governo exige que você tenha um nível mínimo de conhecimento na língua francesa, além de formação superior e outras qualidades. Por outro lado, o que os palestrantes quebequenses tem a oferecer, segundo eles mesmo, é qualidade de vida.

Em Montreal são muito raros assaltos ou roubos. As casas não tem muros e você não fica com aquela preocupação de não poder andar determinado horário ou de ter de ficar escondendo suas coisas de valor. O sistema de transporte funciona bem, com um metrô eficiente, estações e trens modernos e sistema de ônibus pontual. A educação primária e secundária é gratuita e de boa qualidade e a estrutura da cidade funciona muito bem.

Casas sem muro em Laval Casas sem muro em Laval

A única queixa que ouvi foi a respeito da saúde, que apesar de ser pública não está dando conta da demanda e por isso é necessário esperar muito tempo para ser atendido, apesar de a qualidade do atendimento ser bom quando chega sua vez.

Para manter tudo isso é necessário dinheiro e como diz o ditado: "não existe almoço grátis". Para o custear os serviços públicos obviamente o dinheiro vem dos impostos. O imposto de renda varia de faixa, mas em média, para um trabalhador qualificado, com nível superior, o federal fica em 22% e o estadual fica em 20%. Sim, lá existe imposto de renda federal e estadual e no total, nesse exemplo, são 42% de imposto de renda! Isso significa que quase metade do que você ganha fica para os governos e já é descontado diretamente no seu salário.

Isso pode assustar muita gente, como me assustou. Apesar de quase não haver roubos no Canadá, com esse imposto de renda você se sente "assaltado" mensalmente. A questão é que tudo indica que esse dinheiro é em geral bem aplicado. Com exceção das críticas aos serviços de saúde as coisas funcionam muito bem. Além disso há maneiras de deduzir algumas coisas do imposto de renda, como por exemplo se você for casado e sua mulher não trabalhar, se você tiver uma filha, se estiver estudando e em algumas outras situações.
No fim das contas o conceito é muito simples: se paga muito imposto, não existe muita desigualdade como no Brasil e quase todos tem o básico para viver dignamente. Coloquei quase todos porque apesar de haver o conceito de estado social há sim alguns mendigos na rua, apesar de poucos.

Sobre essa questão eu passei por uma situação muito interessante: entrei no metrô e um rapaz que visivelmente estava em situação de rua me perguntou se eu falava francês. Eu disse que mais ou menos (estou aprendendo) e então ele perguntou se eu falava inglês. Eu disse que sim e ele então pediu a esmola em inglês! Até os mendigos em Montreal são bilíngues. Isso parece surreal, mas é a realidade. Quase todos falam francês e inglês em Montreal, e isso não é um diferencial.

Apesar de haver pessoas em situação de rua há um sistema de apoio para essas pessoas receberem alimentos e abrigo para dormir. Se efetivamente funciona eu não sei, mas a pobreza como se vê no Brasil e em outros países é bem incomum por lá.

Como é VIVER em montreal

A vida em Montreal é muito diferente, especialmente no inverno. Como só há três meses de estação quente na maior parte do ano as ruas da cidade não ficam tão cheias. O frio inibe as pessoas e muitos preferem ficar em casa quentinhos. Apesar de ser uma cidade grande a impressão que se tem é que a vida em Montreal é pacata, sem grandes agitações. Muito diferente, por exemplo, de Nova York, onde estivemos também nessa viagem. É claro que há casas noturnas, bares e locais para socialização, mas tudo indica que assim que saem do trabalho todos vão correndo para casa. Há pessoas que praticam atividades ao ar livre, mesmo no inverno, mas a quantidade é pequena.

Esse comportamento é totalmente compreensível, por que no inverno em Montreal chega a fazer -45 graus. Sim, 45 negativos! Isso é bem frio! É claro que essa não é a temperatura cotidiana. Geralmente a temperatura, no inverno, fica entre -10 e -20, podendo haver dias mais quentes, com -5, -3 e dias mais frios, com -25 e menos -30.

Rue Saint Luc Cheia de neve Rue Saint Luc Cheia de neve

Durante o dia é sempre menos frio, devido aos raios solares e durante a noite piora. Por isso você deve sair sempre muito bem equipado, com roupas realmente quentes, luvas, gorros, cachecol e principalmente bons sapatos a prova d'água. Em toda essa temporada no Canadá o que mais me incomodou foram os pés. Como eles ficam em contato com o gelo no solo a tendência é irem esfriando se não estiverem muito bem protegidos. Eu escrevi sobre como fazer a mala para um lugar muito frio antes de ir para Canadá e talvez lhe seja útil.

Durante todo o inverno as pessoas esperam ansiosamente pelo verão. Apesar de só ter estado por lá no inverno todos me diziam que no verão tudo é diferente. Em quanto na estação do frio tudo fica coberto de neve branquinha e o frio teima em entrar por qualquer brecha que você deixe aberta no verão as árvores voltam a ter folhas, fica tudo verde, as pessoas vão aos montes para os parques e as mulheres ficam no gramado tomando sol de biquini! Nessa época quente há muitos festivais de música, de arte e a cidade desabrocha. Até as pessoas ficam mais alegres e expansivas. Nas palavras dos meus amigos que moram lá: "a cidade é outra no verão".

Reveillon de brasileiros em Montreal Reveillon de brasileiros em Montreal

Existem muitas comunidades e imigrantes em Montreal e entre elas está a de brasileiros. É natural que os brasileiros façam amizade entre si de forma mais fácil, até pela língua e pela cultura. Pude perceber que os quebequenses são em geral fechados e os brasileiros relataram isso. A impressão que tive é que são até mais fechados do que os habitantes de outras regiões do Canadá que visitei, como Toronto e Alberta. Entretanto, no dia-a-dia as pessoas te atendem bem, são educadas. Quase sempre que se entra numa loja, por exemplo, as pessoas falam com você, dão bom dia, perguntam com vai. No Brasil isso não é muito comum, pelo menos na minha experiência. A questão é que os quebequenses não são muito abertos para amizades, você tem de conquistá-los. Segundo amigos, uma vez que se torna seu amigo a amizade é verdadeira e duradoura.

O que fazer no inverno em montreal

As opções de lazer em Montreal no inverno são mais restritas, mas isso não quer dizer que não sejam divertidas. Para poder explorar a cidade você deve estar com uma boa roupa de frio e disposição para enfrentar as baixas temperaturas. Para quem não conhece a neve ou curte ver a cidade toda branca é um paraíso. Até aqueles que tem medo do frio percebem como a cidade toda branquinha de neve tem sua beleza.

Apesar do frio é possível sim se divertir. Atividades como patinação no gelo, descida de tobogã de neve e ski cross country são comuns nos parques da cidade. Se você quiser uma atividade com mais adrenalina pode ir a alguma estação de ski nas montanas a cerca de 70 km da cidade e se aventurar no snowboard ou ski de montanha. Além dos parques há atrações bem interessantes na cidade e em todas elas é possível chegar de metrô.

Parc du Mont Royal no inverno Parc du Mont Royal no inverno

Parc du Mont Royal

Parque Mont Royal, em português, é um parque urbano e muito frequentado da cidade do Montreal. Ele tem 280 hectares de área e fica aberto o ano todo, inclusive no inverno. No verão é possível fazer atividades de neve, como skibunda, patinação no gelo, caminhada e ski cross country. O lago do parque fica congelado no inverno e lá é instalada uma pista de patinação. Há uma instalação onde é possível alugar o equipamento, caso você não tenha.
Não há custo para entrar no parque, mas se você for de carro terá de pagar estacionamento. O aluguel de patins de gelo custa CAN 9.00 por cada duas horas. Mais informações podem ser obtidas neste site.

Biodôme

Cachoeira na floresta tropical do Biodome Cachoeira na floresta tropical do Biodome

O Biodôme Montreal é uma instalação imensa e fechada onde são criadas réplicas de diferentes ecossistemas. Estivemos lá no inverno e dentro do Biodôme visitamos, entre outros, o ambiente de floresta tropical. Em quanto do lado de fora fazia -23 e a rua estava cheia de neve do lado de dentro estávamos numa verdadeira selva, com pássaros, animais, peixes,  árvores enormes e até cachoeira numa temperatura de 30 graus positivos!
As condições de umidade, temperatura e luminosidade são criadas artificialmente com mega-equipamentos. Parte do teto é de material transparente de forma que a luz solar passa, permitindo a fotossíntese das plantas.

Além do ambiente tropical há vários outros, cada um com suas características. É um local muito interessante, especialmente para quem está naquele frio intenso e consegue lá dentro, por algum tempo, se sentir verdadeiramente num país tropical. Se prepare para tirar todos os casacos, luvas e gorros, se não você vai transpirar muito. Na saída do Biodôme há uma loja muito interessante, com brinquedos científicos fantásticos.
O ingresso custa CAN 19.25 por pessoa + impostos. Mais informações podem ser consultadas nesse site.

Biosphère e Jean Drapeau

Biosphère o museu do meio ambiente Biosphère o museu do meio ambiente

A Biosfera é um museu dedicado ao meio ambiente onde ocorrem várias exposições temáticas. Foi inaugurado em 1967 para a feira mundial daquele ano. Além das exposições que ocorrem outra atração é a arquitetura do museu. O prédio principal do museu é envolto numa estrutura de metal esférica que tem a intenção de lembrar o planeta e a biosfera da terra.

A Biosfera fica ao lado do parque Jean Drapeau. Nesse parque é possível realizar atividades ao ar livre, como andar com um acessório especial para os sapatos que permitem andar melhor na neve, as raquetas. Há também competições de bikes especiais para neve, maratonas e canoagem de neve. Regularmente há exposições de arte e feiras culturais.
A entrada para a Biosfera custa CAN 12.00 e para ter acesso ao Jean Drapeau não há custo. Mais informações sobre a Biosfera podem ser obtidas nesse site e sobre o parque nesse site.

Rue Saint Denis Rue Saint Denis

Rue Saint Denis

A Rua Saint Denis, na região do Quartier Latin,  é uma área badalada de Montreal, onde há muitos bares, cafés e restaurantes. É uma rua frequentada por aqueles que curtem a noite e a boemia. No verão é muito movimentada e no inverno fica mais vazia devido ao frio. A rua é conhecida também por ser a mais longa rua que corta a cidade no sentido note-sul.
Obviamente não há custo para "entrar" na rua, pois é uma rua pública. Mais informações podem ser obtidas nesse site.

 

 

Amon e Viviane nas escadarias do Oratório Amon e Viviane nas escadarias do Oratório

Saint Joseph's Oratory  (Oratório São José)

É uma catedral famosa da cidade de Montreal. Lá está sepultado o padre São José, que para alguns fez alguns milagres. É a maior igreja do Canadá e vale a pena ser visitada mesmo se você também não for católico ou cristão. Ela fica no alto e de lá se tem uma ótima vista da cidade.

Marché Atwater e Canal de Lachine

O Mercado Atwater é como um mercado municipal que há em muitas cidades do Brasil. É muito limpo e organizado e lá pode-se ver as variedades de frutas e verduras vendidas na cidade, comidinhas e doces locais. Foi inaugurado em 1933 e o prédio é no estilo Art Deco.
O Canal de Lachine fica a poucos metros do Mercado Atwater. Ele passa pela parte sudoeste da Ilha de Montreal e percorre 14.5 km do velho porto até o lago Saint Luis. Nessa parte do canal há locais onde no verão as pessoas realizam atividades físicas e tomam sol.

Verduras no Marché Atwater Verduras no Marché Atwater

Obviamente no inverno não ocorrem essas atividades, mas ainda assim é uma paisagem bonita e vale a pena ser vista se for ao mercado Atwater.
Não há custo nem para entrar no mercado e nem para visitar o canal.

Vieux-Port e Vieux Montréal

O velho porto é a região antiga da cidade. As atividades portuárias foram transferidas para uma nova região em 1976 mas as instalações do velho porto continuaram lá, junto com construções históricas. Essa região se tornou turística e boêmia, sendo local de vários bares e restaurantes, onde se pode, entre outras coisas, comer o prato típico do Quebec, a poutine. Trata-se de uma espécie de batata com molho de queijo. É muito gostoso!
Há também no velho porto o Museu de Ciências de Montreal, com um teatro que tem a tecnologia IMAX. Em 2012 uma praia urbana foi "aberta" e dispõe de areia, cadeiras, uma pequena orla, bar e chuveiros.

Viviane e Daniela comento poutine Viviane e Daniela comento poutine

Os visitantes tem de pagar uma taxa para entrar na "praia", mas infelizmente, por motivos óbvios, só funciona no verão.


 

Montreal é uma cidade para se viver tranquilo, com paz, segurança e trabalho dedicado. Não é uma cidade para se ficar rico, mas para ter qualidade de vida. E você, já visitou ou morou, mora ou vai para Montreal? Comente sobre suas impressões, expectativas e dicas de lugares para visitar.

Encontrou erros nesse post? Comunique!
RBBV Código Criativo