Relato de viagem

Desvendando Nova York no inverno: o que fazer, onde ficar, como fazer compras e se locomover

Nova Iorque, ou New York em inglês,  é uma das cidades mais visitadas do mundo, seja por sua pujança cultural, pelas suas lojas ou pelos seus museus e parques. Assim como a maioria das capitais do mundo a chamada Big Apple americana tem seus contrastes socioeconômicos apesar de ser a segunda cidade mais rica do mundo. A terra da estátua da liberdade tem atrações incríveis, incluindo museus, parques, áreas verdes e pontos históricos, mas também tem um custo de vida alto.

Essa rica metrópole é sede de muitas empresas do setor financeiro além de sediar a maior bolsa de valores do mundo em volume de negócios. A cidade tem uma estrutura urbana muito boa, com avenidas bonitas, muitas construções históricas (apesar de ser relativamente jovem, comparada a cidades do velho mundo), tem uma densidade populacional muito alta e é formada por 5 distritos (boroughs, como eles chamam em inglês): Manhattan, Queens, Brooklyn, Bronx e Staten Island.

Sendo um dos maiores destinos turísticos do mundo, atrai cerca de 50 milhões de visitantes por ano e tem sido o alvo de muitos imigrantes ao longo de sua história fixando moradores (legais e ilegais) de quase todas as partes do mundo.

história e curiosidades de nova iorque

Nova Iorque, a Nova Amsterdam Nova Iorque, a Nova Amsterdam - fonte: Wikipédia

A cidade de Nova Iorque foi fundada por neerlandeses em 1624 como posto de comércio e recebeu inicialmente o nome de Nova Amsterdã. Até hoje uma das avenidas principais da cidade tem o nome de Amsterdã e o nome New Amsterdam está inscrito no  Manhattan Municipal Building  (prédio da administração municipal).

Em 1664 foi tomada pelo Reino da Inglaterra passando a fazer parte do império britânico. Um dos bairros mais famosos da cidade, o Brooklyn, originalmente recebeu o nome de Breuckelen pelo neerlandeses e aos poucos foi sendo adaptado à língua inglesa, passando a se chamar Brockland, Brocklin, Brookline, e, enfim, Brooklyn. Mais tarde, já no século XX é que este distrito, que já foi uma cidade independente, se tornou um local de concentração de cultura afro-americana, como é até hoje.

Os pontos mais importantes para visitar

Nova Iorque tem muitas coisas interessantes para se conhecer e para visitar todas elas com calma é necessário uns 10 dias. Se você não tem esse tempo vai ter de escolher as que mais te interessam ou fazer uma visita mais rápida nas atrações que considerar menos interessantes.

Trânsito intenso em Nova Iorque Trânsito intenso em Nova Iorque

O tempo gasto vai depender muito também de como você se locomove, já que a cidade tem engarrafamentos constantes. Andar de metrô faz você chegar mai rápido, mas por outro lado você não vê nada no trajeto, o que é um pouco frustrante para um turista.

O ideal é primeiro ir nas atrações mais famosas para não correr o risco de não ter tempo no final. Entre as prioritárias eu indicaria a Estátua da Liberdade, o Empire State Building, o Central Park, a Times Square e o Museu da Cidade de Nova Iorque. As principais atrações da cidade quase sempre tem filas e elas não são pequenas e por isso você gasta um bom tempo em cada uma. Além disso há muitos procedimentos de segurança e scanners, o que faz as filas andarem mais devagar.

É claro que essa 'seleção' pode mudar de acordo com suas prioridades, mas elas são as atrações típicas e mais importantes da cidade. Talvez alguns estranhem eu colocar nessa lista top 5 o Museu da Cidade de Nova Iorque. Eu fiz isso por que considero que visitando esse museu você vai ter a oportunidade de conhecer mais profundamente a história da cidade, que é bem interessante. Se o vistar não deixe de ver o filme de 30 minutos que é projetado várias vezes por dia.

Museu de História Natural Museu de História Natural

Há vários outros museus super bacanas, como o de história natural, o Guggenheim e o Museu de Arte Moderna,  mas museus com essas temáticas são encontrados em quase todas as grandes capitais do mundo e você pode ter outra oportunidade de visitar algum similar. O de Londres, por exemplo, é muito bom. A exceção fica para o caso de você se interessar muito por ciência (como eu). Nesse caso vá correndo para o Museu de História Natural e lembre-se que vai precisar de uns dois dias para fazer uma visita aprofundada. Há muita seções e todas são muito interessantes.

Para quem tem mais tempo é muito recomendável a visita ao Museu Guggenheim, Museu de Arte Moderna, Museu Americano de História Natural, Top of the Rocks, Rockfeler Center, Memorial 9/11, Ilha Ellis/Museu da Imigração, Mundo M&Ms, SOHO, ChinaTown e Harlem/Teatro Apollo. Veja a lista de atrações turísticas de Nova Iorque com descrição e localização no final deste post.

Se você terá vários dias na cidade e pretende conhecer muitas atrações a dica é adquirir o CityPass, que dá direito a entrada nas melhores atrações turísticas com um preço de pacote, mais barato do que se fosse comprada cada entrada individualmente.

Conhecendo a realidade da cidade

Ponte do Brooklyn Ponte do Brooklyn

Se você é do tipo que não busca o óbvio ou busca conhecer a realidade da cidade eu recomendo que se desloque algumas vezes de metrô, vá ao Brooklyn e se hospede no apartamento de um novaiorquino, como expliquei neste relato.

Fazendo isso você terá a oportunidade de conhecer mais sobre o dia-a-dia das pessoas que moram na cidade. Poderá ir a mercadinhos, usar as lavanderias, conversar com moradores e funcionários de lojas e ver um pouco sobre a rotina no uso do metrô da cidade. Te adianto que o transporte subterrâneo é mal conservado, feio e sujo.

É surpreendente como uma cidade tão rica tenha um metrô com uma aparência e limpeza tão ruins. Apesar de todos os aspectos negativos o metrô funciona 24 horas e é normalmente pontual e rápido. Você verá também que há muitos mendigos e pessoas catando lixo. A riqueza da big apple não está acessível para todos e fica visível que há muita desigualdade nos EUA.

Como se orientar em Nova Iorque

Nova Iorque, como muitas cidades americanas, é dividida levando em conta os pontos/regiões cardeais, como norte, sul, leste e oeste. Para aqueles que não estão habituados pode a princípio parecer um pouco confuso, mas na verdade é muito simples e é a forma mais fácil para se organizar as regiões de uma cidade.

Nova Iorque vista do Empire State Building Nova Iorque vista do Empire State Building

Seguindo este conceito na ilha de Manhattan existem as regiões de Uptown, Middletown e Downtown (partes norte, central e sul da cidade). A região sul é a parte antiga que fica na ponta da ilha. Manhattan nasceu inicialmente na ponta da ilha devido ao porto e foi se expandindo em direção ao norte.

Cada parte dessa (norte, central e sul) é dividida entre leste e oeste. Assim, existe Upper West Side (lado oeste da região norte) e Upper East Side (lado leste da região norte). O mesmo ocorre com a Middletown e com Downtown.

Entender essas divisões é importante por que a maioria das ruas tem o seu segmento east (leste) e west (oeste). Assim, se num endereço constar 42 East Street (Rua 42 Leste) você já saberá que se trata da região leste. A maioria das ruas tem segmentos leste e oeste e apesar de no nome parecerem diferentes (42 W St e 42 E St) são a mesma rua.

É fácil achar um endereço em Nova Iorque É fácil achar um endereço em Nova Iorque

Outro aspecto importante é que a maior parte das ruas são nomeadas por números, e os números (que são os nomes) vão crescendo do sul (Downtown) para o Norte. Assim, fica fácil ter uma noção de distância se alguém lhe disser um endereço. Se por exemplo você estiver na 13 St e o seu destino ficar na 15 St são só duas quadras subindo. Esse sistema de nomenclatura de ruas não ocorre em algumas partes de Downtown, como The Village, SOHO, NOHO e Little Italy, mas é preponderante em Middletown e Uptown.

Nesta viagem nós ficamos hospedados em Upper West Side, a duas quadras do Central Park e um pouco distante do centro de Manhattan, que fica em Downtown. É a parte um pouco mais tranquila de Manhattan e mais econômica. Downtow é mais cara (e mais barulhenta).

Locomoção na cidade, metrô, táxi e ônibus turístico

Devido ao trânsito intenso de Nova Iorque o metrô é sem dúvida a forma mais rápida de se deslocar. Como já citei as estações são feias, sujas e mal sinalizadas mas o sistema funciona 24 horas e normalmente é pontual. Você pode comprar bilhetes individuais (U$D 2.75) que valem por até duas horas (você pode sair da estação e entrar de novo e utilizar o mesmo bilhete em até duas horas) ou comprar o MetroCard e colocar crédito nele.

Escolhendo essa segunda opção você pode colocar créditos que podem permitir você andar, por um preço fixo, de forma ilimitada por  3 dias, 5 dias, uma semana ou um mês. Semelhante ao que acontece em outros metrôs pelo mundo. Em todos os casos é possível pagar tanto em dinheiro quanto em cartão, direto numa máquina automática. Em alguns acessos de estações não há um guichê e só mesmo a máquina. Há algumas máquinas que só aceitam cartões e outras que aceitam dinheiro e cartões.

Para cruzar toda a ilha, no sentido norte-sul o metrô gasta em torno de 30 minutos, o que é bem rápido considerando a distância e as paradas. Na nossa rotina diária a gente gastava cerca de 7 minutos para voltar da Times Square para Upper West Side, na rua 92.

Usando tÁxis em Nova Iorque

Pegando um táxi em Nova Iorque Pegando um táxi em Nova Iorque

Os táxis (ou cabs, como eles chamam) são abundantes em Nova Iorque. São 13.000 (na cidade inteira) e a todo momento se vê um passando. A maioria é dirigindo por imigrantes (normalmente árabes, indianos ou paquistaneses) e tem um custo relativamente barato. A tarifa (fare) começa em $2.50 mais uma sobretaxa que varia de $0.50, $1.00 das 20h às 6 da manhã e $1.50 de segunda a sexta, das 16-20h. Essa é a tarifa básica. A cada quinto de milha (mais ou menos 320 metros) ou 60 segundos parado custam adicionais $0.40. No final, ainda tem cerca de 10% de imposto e a gorjeta, em torno de 15-20%.

Vale lembrar que se for um dia/horário de tráfego (dias comerciais) você vai gastar um bom tempo no trânsito. Lembre-se que é comum (e esperado) que se dê uma gorjeta ao taxista além do valor da corrida (se o serviço for bom). Esse costume existe na maioria dos serviços nos EUA. Existem aplicativos  para smartphones para verificar o preço de uma corrida, além dos já conhecidos para chamar um táxi.

Usando os ônibus turísticos

Para aqueles que não tem tanta pressa e desejam poder observar e conhecer mais da cidade o indicado é usar os ônibus de turismo. Há algumas empresas que oferecem esse serviço em Nova Iorque. A que usamos é a Big Bus. Essa empresa oferece o mesmo serviço em várias cidades do mundo e a conhecemos quando estávamos em Hong Kong, na Ásia.

O serviço chama-se Hop-on Hop-off sightseeing e é muito prático. Você paga um valor fixo (no caso da empresa Big Bus U$D 39.00 para um roteiro, ou U$D 79.00 para poder usar o serviço por três dias em todos os roteiros). Há vários ônibus e você pode pegar um, ficar o tempo que quiser e saltar numa atração que lhe interessar.

Passeio no Big Bus Passeio no Big Bus

Terminando a visita na atração você pode pegar o próximo ônibus e continuar o passeio. O intervalo entre os ônibus é normalmente de 30 minutos. Em todos os ônibus há fones de ouvido individuais com vários canais, que correspondem aos idiomas e entre eles está o português.

O áudio é sincronizado com o trajeto e dessa forma vai sendo contada a história e curiosidades de cada atração conforme elas vão sendo visualizadas. Na maioria dos roteiros há também comentários ao vivo de um guia, nesse caso em inglês. Se você quiser pode selecionar o canal e continuar ouvindo o seu idioma e ignorar o cometário ao vivo. Para ver mais sobre esse serviço veja este link.

Dependendo do guia que estiver no seu ônibus pode ser muito divertido ou muito sem graça. Se for o segundo caso use o fone no canal do comentário automatizado! Nós compramos o bilhete que dava direito a 3 dias em qualquer um dos três roteiros. No primeiro tour que pegamos a guia era muito simpática. Ela disse que estava neste emprego somente a 2 semanas e parecia está se esforçando muito. Ela parecia tímida mas ao mesmo tempo engraçada e fazia de tudo para conseguir atenção. Já no segundo a guia parecia que estava morta. Ela mal se mexia da cadeira e falava tão baixinho que mal se podia ouvir.

Metrô cheio e sujo de Nova Iorque Metrô cheio e sujo de Nova Iorque

É claro que a qualidade dos comentários ao vivo importa, mas independente disso o serviço como um todo funciona bem e ajuda na logística de qualquer viajante. Só lembre que se você quiser num dado momento simplesmente ir de um ponto a outro para visitar uma determinada atração o ônibus pode não ser uma boa opção pelo tempo que gasta. Ele vai parando nos pontos específicos das atrações e se desloca numa velocidade baixa, para poder explicar sobre cada ponto.

 

HOSPEDAGEM: onde ficar

É claro que o melhor lugar para ficar depende do seu perfil o do que você procura. Nova Iorque, como eu já disse, é uma cidade cara (e mais ainda tratando-se da ilha de Manhattan ) e isso vale para as hospedagens. Para diminuir esse custo com estadia muita gente opta por ficar em Jersey City, que é uma cidade vizinha com preços mais baratos. Existe transporte rápido (cerca de 40 minutos utilizando o Path) de Jersey para Manhattan.

Outra opção para gastar menos é ficar no Brooklyn, onde as hospedagens são também mais em conta. A maioria das atrações mais conhecidas e visitadas estão na ilha de  Manhattan e por isso se você ficar fora dela provavelmente precisará se deslocar quase todos os dias para ir e voltar. Isso vai tomar algum tempo seu, e ainda terá o custo do transporte diário.

Cozinha do apartamento em que ficamos Cozinha do apartamento em que ficamos

Se você quiser evitar tudo isso existe uma opção: se hospedar na casa/apartamento de um novaiorquino. E como se faz isso? É facil! Você pode alugar o apartamento inteiro, um quarto dentro do apartamento (normalmente com direito a usar as áreas comuns, como sala, cozinha e banheiros) ou ainda alugar uma cama (ou mais de uma), compartilhando o quarto com outras pessoas, normalmente viajantes.

Para algumas pessoas isso pode soar estranho, especialmente no quesito privacidade, mas é super tranquilo. Em viagens pelo Brasil já aluguei apartamentos completos em Fortaleza e Rio de Janeiro e sempre foi um custo/benefício muito bom. Em Nova Iorque chegamos a reservar hotel em Jersey City e em Manhattan . Íamos ficar parte dos dias na ilha em outra parte Jersey. Depois de feitas as reservas (com direito a cancelamento grátis) começamos a reavaliar com calma e verificamos que conseguiríamos ficar todos os dias em Manhattan (alugando um quarto num apê) pelo mesmo custo que teríamos para ficar em hotéis em Jersey City.

Além da vantagem financeira ainda foi melhor do ponto de vista de conforto, já que o apartamento era todo mobiliado, a proprietária aparecia pouco em casa e tínhamos à disposição a cozinha, a sala, internet WIFI, praticamente o apartamento inteiro a nosso dispor. No subsolo ficava a lavanderia e foi muito útil para nós.  Nos três primeiros dias de nossa estadia havia outro hóspede (em outro quarto) e tivemos a oportunidade de conversar e trocar ideias. Ela era de outra cidade dos EUA e estava na cidade para iniciar um estágio, depois de concluir a graduação.

Hospedagem em partamento de Nova Iorque Hospedagem em partamento de Nova Iorque(vídeo)

Assim que chegamos, nove da noite a proprietária nos recebeu com um sorriso largo, super receptiva. Nos deu as chaves, as instruções básicas e nos disse para nos sentirmos em casa. O apartamento que ficamos estava na rua 92, em UpTown. Era um prédio antigo, mas bem conservado.

Por dentro o aparatamento era bem cuidado e limpo e o quarto era muito aconchegante. O único problema que tivemos foi com o banheiro, que algumas vezes tinha um mal funcionamento com a descarga do vaso, mas foi resolvido pela proprietária.

A hospedagem na casa de um morador local é definitivamente algo que indico, não só pelo custo, mas pela experiência, pela vivência. Apesar da indicação sei que tem pessoas que preferem pagar mais e desfrutar de todos os luxos de um bom hotel e nesse quesito Nova Iorque também tem bons serviços.

Nova Iorque, uma cidade de imigrantes

Estando em Nova Iorque inevitavelmente você vai perceber que a cidade é uma grande recebedora de imigrantes. Há várias comunidades de vários países que são formadas, como Chinatown, Koreatown, Little Italia, Little Brasil e outras. Na maior cidade americana você pode ouvir muitas dezenas de idiomas, das mais diversas regiões do mundo, mas sem dúvida a concentração maior é de oriundos da Índia, da China do Paquistão e de países da américa latina.

Na maioria dos comércios e lojas mais simples os atendentes são imigrantes. Muitos ao perceberam que falávamos português (quando eu falava com Viviane) tentavam falar conosco em espanhol. De uma forma geral os imigrantes eram sempre solícitos. Provavelmente achavam que nós éramos imigrantes também e isso despertava solidariedade.

Compras em Nova Iorque

paineis-times-square-nova-iorque Painéis da Times Square em Nova Iorque

Muitas brasileiros viajam aos EUA tendo como foco primário comprar. A carga tributária brasileira é bem alta se comparada à dos Estados Unidos, que é de 8,875% no imposto sobre compra de produtos. Por isso, muitos produtos industrializados tem preços bem mais baixos por lá. Nova Iorque tem lojas das melhores grifes e das marcas mais famosas.

A concentração de lojas ocorre principalmente na região da Times Square e no SOHO. Há lojas de roupas, eletrônicos, perfumes, maquiagens e tudo mais. Se você olhar os preços de eletrônicos em lojas de redes, como Best Buy o preço será o mesmo independente da localização da loja. Já em relação a outras lojas não tão conhecidas provavelmente o preço será mais caro nesta região.

A recomendação, no caso de eletrônicos é que você procure redes conhecidas, pois há lojas na Times Square que vendem produtos falsificados ou de baixa qualidade. Na Times Square há lojas de fabricantes de destaque, como Apple (essa funciona 24 horas, inclusive para reparos!).

Apesar da fama mundial de produtos a preços baixíssimos eu não vi nada com preços que me chamassem atenção, pelo menos entre o que eu procurava. Um smartphone Sony Xperia Z2, por exemplo, estava custando na Best Buy U$D 449.00, sem os impostos. Somando 8,875%, mas 6% do IOF (já que agora pagamos o IOF no crédito, no débito e no saque em moeda local) o valor do aparelho saia R$ 1347,00, considerando a cotação do dolar do dia sendo 2,81.

No Brasil, em lojas como Cissa Magazine (pouco conhecida mais confiável, eu já comprei) eu achei o Z2, com nota fiscal, garantia de um ano e TV digital no padrão brasileiro (na versão americana não teria nada disso) por R$ 1499,00. Além do mais, comprando no exterior ainda correríamos o risco de ser parados na alfândega brasileira e ter de pagar 50% de imposto de importação, o que faria o aparelho sair por R$ 2.020,00.

Esse mesmo cenário se repetia para muitos produtos. Muita gente deve estar achando essa informação estranha. O que acontece é que se compararmos os preços dos produtos nas lojas estadunidenses com o preço de lojas mais famosas no Brasil, como Americanas e Submarino aí sim o preço será atrativo, mas há lojas no Brasil (confiáveis) vendendo muito mais barato. Isso vale para smartphones e gadgets, mas não para outros tipos de produto como, por exemplo, vestuário.

Outra questão que vale ressaltar é que assim como a maioria dos lugares em Nova Iorque há produtos de marcas caras e produtos chineses baratos. Viviane conseguiu comprar uma bota cano longo por U$D 10.00, ao lado do Empire State Building, na boca da Times Square. Se você procura produtos originais e de qualidade se atenha a lojas conhecidas ou do próprio fabricante para evitar levar gato por lebre. O SOHO é uma região boa para compras e com lojas de marcas conhecidas.

Para quem procura eletrônicos uma boa dica, estando ainda no Brasil, é verificar o preço no site da Best Buy e B&H, mas lembre-se que os preços mostrados lá não incluem impostos (8,875%) e IOF (6,38%).

Atrações turísticas de Nova Iorque

Essas são as atrações turísticas mais interessantes e visitadas da cidade de Nova Iorque.

Estátua da Liberdade e museu da imigração

Selfie na estátua da liberdade Selfie na estátua da liberdade

A Estátua da Liberdade, cujo nome oficial é A Liberdade Iluminando o Mundo, é um monumento inaugurado em 28 de outubro de 1886, construído na Ilha da Liberdade, na entrada do Porto de Nova Iorque. É um monumento nacional e foi um presente da França em comemoração ao centenário da assinatura da declaração de independência dos Estados Unidos. Fica na Ilha da Liberdade (Liberty Island) e é acessível através de barco e há uma revista rigorosa para visitar a ilha.
O Museu da imigração fica na Ilha Ellis e normalmente o ingresso para a estátua dá direito a uma visita ao museu. O mesmo barco que leva os visitantes à estátua leva em seguida para este museu.
Para chegar a Liberty Island, você deve pegar o barco no Battery Park (perto do monumento Castle Clinton).  Para chegar lá, pegue a linha 1 do metrô até qualquer uma dessas paradas: Bowling GreenWhitehall Street ou South Ferry.
O ingresso custa 21 dólares e pode ser comprado neste link.

Empire State Building

Selfie de Viviane no Empire State Selfie de Viviane no Empire State

O Empire State Building é um dos edifícios mais famosos do mundo. É um símbolo de uma época importante na história e é visto como mais influente do que a Estátua da Liberdade. A partir do 86º andar você tem uma vista incrível para a cidade e você pode até mesmo ir para até 102º andar. A dica é comprar com antecedência o ingresso pela internet (custa 29 dólares). Recomendo pular o New York Skyride. É um velho simulador de voo e não vale o valor pago. Lembre-se que normalmente há filas longas para entrar e por isso se programe levando isso em conta.
Fica localizado na 350 5th Avenue.

Central Park

Nevando no Central Park Nevando no Central Park

O Central Park é um grande parque dentro da cidade, especificamente no distrito de Manhattan. É  um lugar para curtir a natureza e deixar de lado um pouco o rítmo frenético da cidade. Possui uma área de 3,410 km², e está localizado no distrito de Manhattan.  Neste parque há várias atrações, como The Dairy  (construção, em estilo gótico vitoriano, que serve de Centro de Visitantes), Strawberry Fields (jardim em homenagem ao ex-Beatle John Lennon), Bathesda Terrace e Bathesda Fountain (uma lindíssima passarela subterrânea), Zoológico do Central Park (um zoo pequeno, com pinguins, ursos-polares, leões-marinhos e outros animais. É o zoológico do filme Madagascar).

Se estende da North 110th Street à Central Park South (59th Street) e froda Central Park West (8th Avenue) à 5th Ave.
A entrada é gratuita (é um parque aberto), mas o zoo é pago, custando 18 dólares por pessoa. Veja este link para mais detalhes.

Times Square

Ppropagandas na Times Square Propagandas na Times Square

A Times Square é centro frenético da cidade, onde há os famosos painéis luminosos vistos em muitos filmes. Lá há lojas das marcas mais conhecidas, artistas de rua, muito trânsito e muita gente na rua. É um ponto famoso mundialmente onde ocorre a confluência e cruzamento de duas grandes avenidas da cidade de Nova Iorque, podendo ser definida como uma grande praça ou largo, composta por vários cruzamentos e esquinas. Muitas lojas funcionam 24 horas e outras ficam abertas até meia noite.

Museu da Cidade de Nova Iorque Museu da Cidade de Nova Iorque

Museu da Cidade de Nova Iorque

O Museu da Cidade de Nova Iorque reúne o acervo sobre a história da cidade, desde a sua fundação até os dias atuais. Aborda tanto aspectos arquitetônicos quando de comportamentais e culturais. Se você o visitar não deixe de assistir um filme de 30 minutos que resume de forma muito boa a história e curiosidades da cidade. É muito interessante. O ingresso custa 14 dólares para adultos.
Fica na 5th Avenue, 1220 e abre das 10:00 às 18:00. O preço por pessoa é 25 dólares. Veja este link para mais detalhes.

 

NYC Guggenheim Museum - fonte: Wikipédia NYC Guggenheim Museum - fonte: Wikipédia

Museu Guggenheim

Um museu famoso mundialmente e um ícone arquitetural o Guggenheim é ao mesmo tempo um centro cultural, educacional e o coração de uma rede internacional de museus. Os visitantes podem apreciar exibições especiais de arte moderna e contemporânea, performances, apresentações de filmes e passeiso diários pelas galerias de artes. O preço é 25 dólares. Veja mais detalhes aqui.
Fica na 5th Avenue, 1071.

Museu de Arte Moderna

A colecção do Museu de Arte Moderna constitui uma das maiores vistas panorâmicas sobre a arte moderna. Nas suas instlações estão mais de 150.000 pinturas, esculturas, desenhos, modelos arquiteturais, imagens, fotografias e peças de design. Dispõe também de uma livraria com cerca de 300.000 livros e documentos de mais de 70.000 artistas. Tem sido importante no desenvolvimento e coleta de arte moderna e é frequentemente identificado como o museu mais influente em relação a arte moderna no mundo.
Endereço: West 53rd Street, 11. O custo do ingresso é 25 dólares. Veja mais detalhes aqui.

Seção de terra e universo do Museu de História Natural Seção de terra e universo do Museu de História Natural

Museu Americano de História Natural

O Museu de História Natural de Nova Iorque é um paraíso para aqueles que gostam de ciência. Tem áreas temáticas diversas, abordando desde a história da humanidade, das espécies, da terra e do universo. Suas instalações são imensas e tem coleções e exibições muito bem organizadas, muitas utilizando tecnologia de ponta. A seção dedicada à terra e universo dispõe de vídeos apresentados numa abóbada semelhante à de um planetário.
Fica localizado no endereço Central Park W & 79th St. O preço do ingresso é 22 dólares. Veja mais informações e tickets aqui.

 

Rockefeller Center - Fonte: Wikipédia Rockefeller Center - Fonte: Wikipédia

Top of the Rocks e Rockfeler Center

O Top of the Rocks é um arranha-céu que permite, assim como o Empire State uma visão ampla da cidade. Talvez você deva avaliar se vale a pena visitar as duas atrações, já que elas tem muitas semelhanças apesar de suas particularidades e suas histórias. Ambos são arranha-céus famosos com vistas de 360º a partir de seus decks de observação.  Os dois estão localizados em Manhattan, mais especificamente em Midlletown, entre a 5ª e a 6ª Avenidas, mas distantes 15 quadras um do outro e o preço dos ingressos também quase o mesmo.

O Top of The Rocks fica no Rockfeler Center, que é um complexo de edifícios. O Rockfeler é frequentado especialmente no inverno, quando a praça principal do complexo fica decorada com uma grande árvore de natal e possui uma grande pista de patinação. Ingressos podem ser comprados neste link.

Memorial 11 de setembro Memorial 11 de setembro

Memorial 9/11

O memorial 9/11 foi construído em homenagem às vítimas do atentado terrorista às torres gêmeas em  11 de setembro. No espaço que foi criado após a demolição dos restos das duas torres foi construída um arranha-céu ainda maior, que foi chamada de Freedom Tower, um monumento e um museu que conta a história do atentado e dos seus reflexos e tem em seu acervo artefatos associados com o evento de 9 de setembro e detalhes sobre as histórias de perda e reconstrução das famílias afetadas.
Fica localizado na Greenwich Street, 180. O preço do ingresso é 24 dólares por pessoa. Veja mais detalhes neste link.

SOHO

O SoHo é um bairro que fica em Manhattan. Esse nome é resultado da abreviação de South of Houston, indicando se tratar da região ao sul da rua Houston e fazendo um trocadilho com o conhecido bairro do Soho que fica em Londres, no Reino Unido. É famoso por ser o local onde muitos artistas possuem lofts.
No bairro existe uma grande variedade de lojas que vão desde boutiques de moda a marcas de luxo nacional e cadeias de lojas internacionais. A história da região é um exemplo regeneração do centro da cidade, incluindo aspectos sócio-econômicos, culturais, arquitetônicos e políticos.

McDonalds em chinês chinatown Nova Iorque McDonalds em chinês chinatown Nova Iorque

ChinaTown

Chinatown é um bairro de concentração de imigrantes chineses, como existe em várias capitais do mundo. Há inúmeras lojas com produtos chineses e até mesmo a arquitetura de alguns edifícios segue o estilo chinês. é interessante para quem admira a cultura chinesa, quer conhecê-la ou ou quer comprar algum produto específico. Para quem já viu outros bairros chineses talvez não seja algo interessante.
Fica localizado entre a Grand Street e Allen Street.

Bairro do Harlem Bairro do Harlem

Teatro Apollo e HARLEM

O Apollo Theater é um teatro localizado no bairro do Harlem. O local é uma das salas de música mais conhecidas dos Estados Unidos, e também reduto dos artistas negros da cidade. É famoso, entre outras coisas por ter sido o último local no qual Michel Jackson se apresentou antes de morrer.  O bairro do Harlem é conhecido por ser um grande centro cultural e comercial dos afro-americanos. Apesar de o nome ser comumente atribuído a toda a região alta de Manhattan o Harlem é limitado pela Rua 155 (155th Street) a norte e o Rio Harlem a leste. Nessa região é possível encontrar lojas mais econômicas para muitos produtos, como os de vestuário, por exemplo.


Esperamos que o post lhe tenha sido útil e contribua para seu planejamento ou decisão de viagem.

Se tiver qualquer dúvida ou quiser acrescentar alguma informação fique a vontade para comentar e participar. Teremos prazer em responder.

Encontrou erros nesse post? Comunique!
RBBV Código Criativo