Relato de viagem

Fazendo as malas para o inverno de um lugar muito frio

Ao saber do destino e roteiro dessa viagem a primeira coisa que todos dizem é: "você é louco, como pode ir para um lugar que pode fazer até 40 graus negativos?". Bom eu entendo a preocupação, mas apesar do frio, se você tiver a roupa e equipamento certo você não vai ficar batendo o queixo nem tremendo de frio.

Viagem ao fim do mundo Viagem ao fim do mundo

Na viagem para o Fim do Mundo nós chegamos a pegar -15 graus, o que já é bastante frio, mas com exceção de pequenos problemas pontuais não passamos frio. As poucas situações incômodas foram causadas pela falta de um sapatado ou roupa impermeável adequados. Ou seja, era uma questão do equipamento/roupa adequada, e logo depois foi resolvido.

arrumar as malas para um destino muito frio

Uma das primeiras duvidas para quem vai viajar para um lugar muito frio é em relação a que tipo de roupas levar, que quantidade e como montar uma logística para não ter problemas com roupa suja. Depois de já ter experimentado exageros e escassez acho que cheguei ao ponto de equilíbrio, sendo capaz de selecionar as coisas do tipo certo e na quantidade correta.

Para fazer a mala ou mochila certa alguns pontos devem ser considerados:

  • Qual a real temperatura do lugar que você vai visitar -  tanto média como máxima e mínima. Se for um lugar com temperaturas estáveis é mais fácil, por que nesse caso você usará sempre o mesmo tipo ou conjunto de roupas para aplacar o frio.
  • Quando tempo vai ficar - se for um tempo curto dá para levar roupas numa quantidade que não seja necessário se preocupar com lavagem/secagem. Acho que o número limite de dias de uma viagem (para levar roupa para todos os dias e não precisar lavar) seria em torno de 15 dias. A partir disso já complica.
  • Qual o tipo de viagem - se for uma viagem na qual você vai alugar um carro e vai de hotel em hotel ou se for uma excursão com toda a logística e transporte já incluídos dá para levar mais coisas (2 malas ou mais, se for uma viagem longa). Se for uma viagem de aventura, com mochila nas costas e com um roteiro mais cansativo tem de ser uma quantidade pequena de coisas. Nesse caso o ideal é uma mochila principal, com cerca de 70 litros e talvez uma mochila pequena, para levar coisas pessoais.

Nas viagens de cunho aventureiro ou de "mochilão" o lema é: "só leve o que você pode carregar". Isso quer dizer que você deve conseguir carregar tudo que está levando de uma vez só, sem a ajuda de ninguém e poder caminhar bem com esse volume de coisas.

Como se vestir para o frio

É importante esclarecer que em situações de muito frio não há uma única roupa que vai ser vestida e resolverá o problema. Na verdade nesses casos veste-se em camadas, popularmente apelidado de "cebola". Algumas camadas mais finas e sobrepostas mantêm com mais eficiência a temperatura do que uma ou duas camadas mais grossas, além de ocupar menos espaço na sua mala ou mochila.

A vestimenta em camada também permite que você vá tirando ou colocando essas camadas conforme mudanças da temperatura ou quando você entra em ambientes fechados, que normalmente tem calefação (aquecimento).

Exemplo de segunda pele Exemplo de segunda pele

 

Na camada de baixo o indicado é vestir uma roupa leve mas que seja justa, como as chamadas segunda-pele. Essas roupas tem a função de retirar o suor da superfície da pele, transferindo-o para a superfície externa da roupa. Além disso tem a função de reter o calor.

Essas roupas devem ter costuras planas para evitar que no contato e movimentos cause desconforto. Um conjunto de segunda pele (blusa e calça) custa, em média, R$ 100,00.

Na segunda camada deve-ser vestir uma roupa quente. Existem tecidos bem específicos para esse fim, como o denominado fleece, que ao mesmo tempo mantém a temperatura interna, são leves e transpiráveis.

Se você não tiver um desses pode usar um casado de lã, que seja bem grosso. Eles são mais pesados, mas atendem a necessidade.  Uma jaqueta de tecido fleece custa em torno de R$ 120,00 e uma calça em torno de R$ 50,00.

A camada protetora, por último, tem como objetivo proteger do vento, da chuva e da neve, tendo de ser preferencialmente impermeável. Apesar de ter a função de proteger das intempéries muitos casados impermeáveis para o frio tem também, por dentro, tecidos quentes, como o fleece, normalmente bem fino .

O meu casaco, por exemplo, com o qual já fui para Ushuaia, tem tanto a proteção externa quando a camada quente. É muito importante que o casaco tenha um capuz, também impermeável, e tenha um sistema de fechamento na parte dos pulsos.

Mesmo se o casaco externo tiver uma camada quente interna ainda assim é recomendável ter a segunda camada quente. A terceira camada é normalmente a mais cara. Um bom casaco de inverno, que seja impermeável, proteja e esquente custa em torno de R$ 350,00. Há opções mais baratas, mas normalmente são menos duradouros, incompletos ou de menor qualidade.

Gorro do tipo touca ninja Marcelino com gorro do tipo touca ninja (esquerda)

 

Luvas, gorros, cachecol e meias - são acessórios extremamente necessários. Para lugares frios esses itens são também questão de sobrevivência. A luva deve ser impermeável e ter uma camada quente interna.

Já o gorro deve ser de lã (ou outro material de camada quente), bem grosso e o ideal é que cubra as orelhas, pois sente-se muito frio nelas. Há ainda os gorros parecidos com toucas ninjas, que cobrem toda a cabeça só deixando livres os olhos.

Um gorro de lã mais simples (e fino) custa em torno de R$ 30,00 e um gorro para temperaturas mais baixas e com camada protetora pode custar de R$ 50,00 a R$ 150,00, dependendo do acabamento. Uma luva impermeável de frio custa em torno de R$ 70,00 e um cachecol em torno de R$ 40,00.

Meias quentes também são muito importantes, mas se não for possível encontrá-las você pode usar uma sobre a outra.

Há gorros que tem "extensões" que descem e permitem amarrá-lo por baixo do queixo (como os peruanos). Há gorros que tem também uma camada protetora impermeável, o que é ótimo, mas não substitui o capuz do casaco da terceira camada. Já o cachecol deve ser efetivamente para frio e não somente estético. Deve ser de um tecido grosso e quente e longo o suficiente para dar duas voltas no pescoço.

Casaco terceira camada em Ushuaia Casaco terceira camada (preto) em Ushuaia

O sapato para frio e neve deve seguir o mesmo princípio das luvas, tendo uma camada quente interna e outra impermeável por fora. Repare que não  é somente o tecido do sapato que deve ser impermeável, mas sim todo ele, incluindo a costura e e colagens. Esses sapatos (normalmente botas de cano curto) tem escrito "waterproof". Uma bota a prova d'água custa em torno de R$ 300,00.

Importante

Esclareço que os preços citados são somente para referência e não tem nenhuma intenção de servir de cotação. Além disso é importante destacar que para cada item pode haver opções bem mais caras, a depender da marca.

Estou levando em consideração somente a funcionalidade e não o fabricante. Por outro lado, se forem comprados no exterior podem ter preços muito diferentes, normalmente bem mais baratos.

 

E qual quantidade de roupa devo levar?

A quantidade, como citado acima, depende da sua viagem. O importante é lembrar que em relação à higiene não é necessário trocar a segunda e a terceira camadas com frequência. A camada que fica em contato com a pele é a primeira e é a que deve ser trocada diariamente. Dito isso, você deve avaliar quantidade de dias da sua viagem e a disponibilidade que você vai ter para lavar e secar essas peças.

Apesar do aspecto prático sabemos que todos querem variar as roupas, como a terceira e segunda camada (as vezes) de forma a sair com roupas diferentes nas fotos.

Dica para as fotos

Como as vestimentas de segunda e terceira camada normalmente são muito volumosas a dica para variar o visual é trocar os gorros, luvas e cachecol. Se você estiver com espaço na mala pode levar ainda dois casacos de terceira camada. Eu não faço isso, levo só um de terceira camada.

Já em relação à segunda camada eu levo normalmente três ou quatro casacos quentes, de lã ou fleece. Isso permite em casos de muito frio usar duas segundas camadas, para aquecer mais um pouco.

O que eu estou levando para essa viagem?

O que estou levando na mochila O que estou levando na mochila

 

Desta vez estou indo para um lugar com frio extremo (pode chegar até -40) e estou levando menos roupa de frio do que quando fui para a patagônia. Como eu  falei fui aprendendo com o tempo e na viagem para a cidade mais ao sul do mundo e mais gelada antes da Antártida eu verifiquei que não usei muitas das coisas que levei e terminei tendo que carregar uma mochila exageradamente pesada.

 

 

Dessa vez estou levando os seguintes itens:

  • Uma bota a prova d'água
  • Um sapato leve (para ambientes fechados e quentes)
  • Um casaco de frio de terceira camada impermeável e com forro de fleece
  • Quatro camisas sociais leves
  • Três camisas de manga longa
  • Dois casacos de lã
  • Dois cachecóis
  • Três gorros
  • Duas luvas (uma impermeável e outra de lã)
  • Quatro calças (sendo duas com forro interno e duas sociais)
  • Duas bermudas e duas camisetas - acho que nem ou usar :-)
  • Equipamento de fotografia
  • Camelback
  • Um neoprene leve (que uso como segunda pele)
  • Uma calça impermeável
  • Um capacete para câmera (para filmar atividades esportivas)
Mochila principal, mochila de mão e roupas que irei vestido Mochila principal, mochila de mão e roupas que irei vestido

Expectativa de frio intenso para a viagem

Nesta viagem a expectativa é que podemos vir a pegar até -40 de frio na região de Alberta, no noroeste do Canadá. Pode ser que não chegue a isso mas a probabilidade é grande. Para se ter uma ideia, nesse momento (28 de dez de 2014), na estação de ski Nakiska, que fica perto da Calgary (Canadá), onde vamos ficar, está com sensação térmica de -30 graus, e por isso temos de estar preparados.

Perdendo o medo do frio

Acho que o ponto mais importante desse post é destacar para as pessoas que estão pensando na possibilidade de fazer uma viagem para um lugar bem frio que se estiverem com a roupa/equipamento adequado elas não vão passar frio.

 

Quando estava em Ushuaia, a -20 graus Celsius, eu não senti frio, por que estava com a roupa adequada. Em outros momentos, até aqui mesmo em Salvador, eu já senti mais frio (de noite, na moto e na chuva) do que quando estive em Ushuaia.

A sensação de frio depende não só da temperatura ou sensação térmica, mas também da roupa que você está vestindo. Se planejar direito e levar as roupas adequadas você ficará bem e poderá curtir todas as maravilhas da neve e dos cenários deslumbrantes que esses lugares tem.

No começo, preocupado com o frio já levei roupa demais e terminei me arrependendo. Não leve demais e nem de menos, mas a quantidade ideal levando em conta os aspectos que coloquei no anteriormente.

Encontrou erros nesse post? Comunique!
RBBV Código Criativo