Blog Fazendo as Malas

Como utilizar o sistema de bikes públicas de Salvador sem custo - um teste drive

As bicicletas públicas disponíveis no Bike Salvador são uma ótima opção de transporte para os moradores e para turistas. Muita gente que vem a Salvador deseja saber como alugar bicicletas para poder andar e passear pela cidade. Neste post relato a minha experiência num "test-drive" que fiz no sistema e procuro descrever um passo-a-passo de como se cadastrar e utilizar as bikes sem custo.

2014-08-14 11_08_43 Parada no Dique do Tororó

 

Ter o sistema implantado foi um grande passo e todos nós devemos lutar para que o mesmo seja melhorado, ampliado e o uso de bicicleta se torne uma hábito de vida dos soteropolitanos. Transporte público eficiente é uma demanda crescente nas grandes cidades e não podia ser diferente em Salvador. Entretanto, muita gente esquece que a bicicleta pode e deve ser encarada como um transporte público, desde que se torne uma política de estado e não de governo. Durante muitos anos me desloquei exclusivamente de bicicleta. Cresci em cima de bike, quando morei em Curitiba ia de bike para a escola todos os dias e sempre curti esse meio de transporte, que além de ser saudável contribui para o desengarrfamento e para a melhoria do meio ambiente.

O sistema

Bike Salvador é um projeto da Prefeitura de Salvador, em parceria com a iniciativa privada, que visa oferecer um meio de transporte sustentável e não poluente. Foi implantado em 22 de setembro de 2013 e é mais do que a disponibilização de bicicletas. Além dos equipamentos foi criada uma campanha para estimular o uso de bicicletas, valorizando o uso do meio de transporte e principalmente para conscientizar os motoristas e ciclistas dos direitos e deveres de cada um e da importância de se respeitar quem anda de bike, especialmente no quesito de segurança do ciclista. O sistema funciona de forma semelhante a existentes em outros países e em outras cidades do Brasil.  Foi implantado um conjunto de estações que são conectadas a uma central via internet. Em cada estação há várias bicicletas e todas elas ficam bloqueadas e só é permitido o uso para quem é cadastrado.

Lembro que das vezes que visitei outros países que contam com sistemas semelhantes ouvia de brasileiros que se isso fosse implantado no Brasil não daria certo. Diziam que as bicicletas seriam roubadas, depredadas e que o povo inutilizaria o sistema ao longo do tempo. Nessa época não havia esse sistema em nenhuma cidade brasileira e depois de alguns anos os fatos estão mostrando que esse argumento era equivocado. Apesar de modelo ser semelhante ao de outros países existem algumas diferenças. Por exemplo: em Paris você pode comprar um ticket para utilizar a bicicleta diretamente nas estações. Elas tem um display maior, um leitor de cartão de crédito e tudo pode ser feito ali mesmo. Já em Barcelona, na Espanha, as bicicletas são gratuitas mas apenas disponíveis para residentes no país (os sistemas podem ter mudado desde que estive lá). Já em Salvador foi elaborado um modelo misto: os primeiros 45 minutos são de graça e a partir daí, a cada 30 minutos paga-se 5 reais. 

Como utilizar

DSC_0515 Toten da estação

Para utilizar o sistema você deve se cadastrar. É possível realizar o cadastro no site bikesalvador ou através dos aplicativos para  Android, para Iphone ou para WindowsPhone. Todos os eles são gratuitos e permitem não só o cadastro como também a retirada da bicicleta da estação. No processo de cadastro é solicitado que sejam fornecidos um celular e um número de cartão de crédito. Apesar disso não há custo para o cadastro, que é chamado de "Habilitação". Segundo o site bikesalvador o cartão de crédito é solicitado como uma "garantia".

Os passos para a utilização são:

  1. Realizar o cadastro (no site ou no aplicativo)
  2. Se dirigir a uma estação (onde ficam as bicicletas - no site e no aplicativo há um mapa com a localização das 38  estações)

 

Para retirar uma bicicleta:

  • Abrir o aplicativo, entrar com o usuário e senha cadastrados, informar a estação e selecionar uma bike ou;
  • Utilizar o SalvadorCard - para isso basta encosstá-lo num leitor da estação, receber a informação do número da bike e encostar novo confirmando ou;
  • Telefonar para a central 4003-9892 e informar o seus dados de cadastro

 

Depois de retirar:

  • Utilize a bike por até 45 minutos (se não quiser ter gasto).
  • Devolva a bike na estação onde retirou ou em qualquer outra, desde que haja vaga na estação
  • Para devolver você não precisa do aplicativo, nem ligar. Basta simplesmente encaixar a bicicleta numa vaga disponível e o sistema saberá que a bicicleta que você pegou foi devolvida. Cada bike tem um chip eletrônico.

Dicas importantes:

  • Você pode devolver uma bicicleta e pegar outra, mas para não ter custo deve respeitar um intervalo mínimo de 15 minutos entre retiradas e usar cada uma por no máximo 45 minutos.
  • É possível verificar se há bike ou vaga disponível (para devolver tem de haver vaga) numa determinada estação pelo aplicativo ou pelo site
  • Você tem até 5 minutos para trocar de bicicleta se verificar que a que você retirou está com defeito.

Qual o estado das bicicletas? Elas são boas?

Bom, eu achei. É claro que por ficarem expostas no tempo há sinais de oxidação (ferrugem), mas as bicicletas me pareceram bem robustas. Verifiquei algumas e todas pareciam bem durinhas, sem folgas, com os freios e tudo funcionando. É claro que deve haver algumas com defeito e isso é compreensível, já que um uso com tanta rotatividade causa danos, mas o estado de funcionamento das bicicletas estava muito bom.

Detalhe do sistema de marchas Detalhe do sistema de marchas

Segundo o site bike  salvador as bicicletas tem quadro de alumínio, faixas refletivas nos pedais, cestinha para colocar objetos, marcha de três velocidades, aros de alumínio, raios de inox e freios bons (esse "bons" foi dito por eles, mas é verdade). O sistema de marcha das bikes é embutido (você não vê as catracas expostas) e acho que isso dá mais durabilidade. A buzina e tudo mais estava funcionando, de forma macia, e sem nenhuma dificuldade. O que se percebe é que as bicicletas foram projetadas para durar, para dar conta do dia-a-dia.

É seguro andar no trânsito de Salvador?

Não há uma resposta única para essa pergunta, pois depende de onde você vai andar e da sua experiência como ciclista. Há sim muito que se evoluir, especialmente na criação de ciclofaixas exclusivas, mas posso dizer que minha experiência nesse test-drive de hoje foi positiva. Como disse eu já andei muito de bicicleta, durante muitos anos, mas não ultimamente. Se você estiver iniciando opte por andar pelas ciclovias. Na minha pedalada de hoje me surpreendi.

Dique do Torotó Dique do Torotó

Com raras exceções percebi que havia uma preocupação dos motoristas em manter distância de mim e de me respeitar, e olha que eu estava numa parte de tráfego pesado e intenso da cidade. Todas as vezes que sinalizei com a mão os carros me deram preferência. Há alguns anos atrás,quando eu andava pela cidade de bike, isso não acontecia . Não estou dizendo que está tudo perfeito e que não haja ainda um risco considerável e desrespeito dos motoristas e relação ao ciclista, mas melhorou muito, muito mesmo. Além do comportamento dos motoristas é necessário melhorar a infraestrutura da cidade para a bicicleta. Eu fiz o trecho do Rio Vermelho até a Calçada e falta, especialmente na região antiga da cidade, espaço nas ruas. Há ruas apertadas, onde mesmo o motorista querendo manter a distância lateral de 1,5 metros ele tem dificuldade.

Estação Parque Cruz Aguiar Rio Vermelho Estação Parque Cruz Aguiar Rio Vermelho

Apesar dos problemas existentes acho que fizemos um grande avanço. Isso não significa que devemos deixar de exigir melhorias no sistema, principalmente na criação de ciclovias/ciclofaixas por toda a cidade. Devemos é usar, e muito, o sistema e lutar por uma verdadeira mudança no sistema de transporte, tornando a bicicleta num dos principais meios, como ocorre, por exemplo, em Amsterdã, que tive o prazer de visitar. Na capital holandesa praticamente todos andam de bicicleta, para todos os lados. É tanta bicicleta que falta vaga de estacionamento (para bicicletas) e olha que há inúmeros. Imagina se essa gente toda estivesse andando de carro próprio? A cidade já teria parado. Isso sem falar nos benefícios à saúde e ao meio ambiente.

Durante o meu trajeto de bicicleta eu fiz algumas paradas em algumas lojas de peças de moto. O mais interessante é que as pessoas sempre me olhavam de forma curiosa pelo fato de eu estar com a bike laranja. O que me motivou escrever esse post foi justamente a constatação de que as perguntas que me fizeram demonstravam que grande parte da população soteropolitana, e também os turistas, ainda não sabem muitos detalhes do sistema. Na  avenida Sete Portas me fizeram, espontaneamente, as seguintes perguntas:

  1. É preciso ter conta no Itaú para utilizar essas bicicletas? A resposta é não! Talvez haja essa confusão pelo fato do banco ser o patrocinador do projeto.
  2. É de graça? Como eu disse, utilizando até 45 minutos é de graça.
  3. Você tem de devolver a bike no mesmo lugar que pegou? Não, pode devolver em qualquer lugar, desde que haja espaço para encaixar a bike
  4. Você tem de fazer um trajeto específico? Não, você pode pegar a bicicleta e ir para onde quiser, mas lembre-se que se você passar de 45 minutos, a cada 30 minutos será cobrado 5 reais. Por tanto, se você levar a bike para sua casa e for devolver no dia seguinte vai ter um custo alto.

O aplicativo

Apesar de funcional achei o aplicativo muito lento. Eu testei a versão para Android. O meu smartphone tem uma configuração bacana, mas mesmo assim demorou bastante para eu conseguir liberar a bicicleta. Existe a possibilidade de que o problema estivesse na conexão 3G  lenta, já que quando cheguei em casa mais tarde abri o aplicativo utilizando o wifi, me autentiquei e não foi tão lento. Outra possibilidade é que era um momento de pico e o sistema estava sobrecarregado.  Eu tirei algumas capturas de tela com as etapas da retirada da bike.

Acesso ao aplicativo com usuário e senha Acesso ao aplicativo
Confirmação que seu cadastro está habilitado estado da habilitação
Escolha da estação de retirada Escolha da estação
Escolha da bicicleta Escolha da bicicleta
Encontrou erros nesse post? Comunique!

Viagens

  • Chapada dos Veadeiros
    5 dias de viagem e 4 viajante(s)
    •  República Federativa do Brasil
    Salvador - Brasília - Alto Paraíso de Goiás, Goiás - São Jor...
  • Fim do Mundo
    18 dias de viagem e 6 viajante(s)
    •  República Federativa do Brasil
    •  Uruguai
    •  Argentina
    •  Chile
Ver todas
RBBV Código Criativo