Blog Fazendo as Malas

Como viajar sem falar inglês ou qualquer outro idioma além do português

Muita gente pensa que para viajar para outro país no qual não se fale português é necessário falar inglês ou o idioma do país visitado. Isso não é inteiramente verdade, e é o que explicarei neste artigo.

Rotina conhecida

De uma forma geral a rotina de um viajante comum é mais ou menos a mesma, em qualquer lugar do mundo. Ele chega por algum meio de transporte (avião, trem, barco ou outro), passa por alguma imigração ou controle de fronteira e vai para alguma hospedagem, seja hotel, pousada ou casa de amigo. Depois de entrar no país normalmente o viajante visita pontos turísticos, faz algumas compras e realiza atividades de lazer. Os mais aventureiros podem ir para locais mais remotos ou fazer atividades de aventura. Em todos esses contextos a necessidade real de comunicação é mínima ou quase nenhuma.

 

Sem muita conversa

Sem falar Sem falar

Por estarmos acostumados a nos comunicarmos livremente no nosso dia-a-dia nos esquecemos que é possível fazer a maioria das coisas praticamente não se comunicando ou comunicando-se de forma não verbal. Não estou dizendo que não seja bom dominar o inglês ou qualquer outro idioma. Pelo contrário, aprender idiomas é muito importante, tanto como forma de adquirir mais conhecimento e cultura quanto como forma de ascensão profissional. O ponto é: não falar o idioma do país visitado ou inglês não é algo impeditivo para que a pessoa viaje. É claro que a viagem se torna mais rica, confortável e até mesmo segura se você domina o idioma, mas pensando pragmaticamente e tecnicamente é perfeitamente possível viajar falando somente português.

Como se preparar

Para fazer isso da forma mais tranquila possível vou dar algumas dicas importantes:

  • Faça um roteiro detalhado de sua viagem, deixando claro as datas e horários, os voos ou outros meios de trasporte e os locais que visitará.
  • Tenha consigo o o endereço completo dos lugares e hotéis que pretende visitar.
  • Peça para alguém traduzir esse roteiro para o idioma do país que vai visitar ou para o inglês. Se não tiver alguém que possa lhe ajudar com isso use uma ferramenta de tradução como o google translator.
  • Pesquise sobre a taxa de conversão da moeda local para o real, de forma que você possa, a grosso modo, saber o preço das coisas em real ao ver um preço na moeda estrangeira.
  • Faça um seguro viagem e leve consigo os telefones internacionais de assistência, assim como os telefones internacionais para ligar para o cartão de crédito. Essas centrais costumam atender em português, mesmo você estando no exterior.
  • Ande sempre com seu roteiro no bolso.
  • Anote o nome em inglês de palavras chaves como água, preço, não, não quero, não falo inglês, embarque, desembarque, aeroporto e etc.
  • Imprima a reserva de hotéis, voos, trens e outros itens no idioma do país visitado ou em inglês. Muitos sites de reservas oferecem essa opção. Caso não tenha essa opção traduza com a ajuda de um amigo ou um tradutor on line.
Exemplo de roteiro de viagem Exemplo de roteiro de viagem

 

Como passar pela imigração

Tenha em mente que você vai ter que limitar sua comunicação ao mínimo necessário, e ela será feita basicamente por informações escritas. Por exemplo, ao chegar na imigração você deve apresentar seu roteiro, o passaporte, a reserva de hotéis, vistos, cartões de crédito e outros documentos requeridos para entrar no país. Se o oficial de imigração perguntar alguma coisa que você não saiba como responder ou não entenda simplesmente diga "I dont speak xxxx" onde xxxx é o idioma do país visitado. Por mais que seja recomendável não é obrigatório que o visitante fale o idioma do país visitado e nem mesmo inglês. Junto com essa frase mostre novamente o roteiro e os documentos, por que no final o oficial de imigração quer saber seu roteiro, onde você vai e se tem como pagar suas contas no país. Os documentos falam por si e devem ser suficientes para que você seja liberado. Por experiência própria eu posso dizer que na grande maioria dos casos o oficial de imigração não fala praticamente nada com o visitante, se limitando a pedir os documentos, que você pode entregar já de imediato, mesmo que não entenda o que ele diz.

Utilizando as estratégias corretas

Liberando-se da imigração e conseguindo entrar no país o próximo passo será conseguir chegar ao hotel ou pousada. Neste quesito a forma mais fácil é você ir de táxi. A técnica é você simplesmente apresentar a reserva do hotel com o endereço escrito no idioma local ou no último caso em inglês para o motorista. Ele imediatamente vai saber que você quer ir para aquele endereço. Você pode optar por outros meios de transporte, mas o risco é maior. Se esse for o caso pesquise bastante sobre o meio de transporte que pretende usar. Pesquise sobre os horários, o nome dos terminais, das linhas e das estações. Planeje seu itinerário detalhadamente de forma que quando você for tomar o transporte já saiba todos os detalhes, como o tempo médio que levará e o nome da estação/local que saltará do transporte. Na linha de facilidade o metrô é o segundo transporte mais fácil de tomar, depois do táxi. Normalmente as estações são bem sinalizadas e dentro do trem mostra a estação que você está e um mapa mostrando as próximas estações da sua linha. É muito provável que haja uma aplicativo para smartphone do sistema de metrô do país que você visita. Nesses aplicativos você pode planejar sua viagem simplesmente dizendo de onde e para onde quer ir e ele mostra todas as linhas e estações que você deve passar e as conexões necessárias. Nos aplicativos mais simplórios há um mapa do metrô, o que já é algo útil para um viajante. Chegando no hotel simplesmente apresente sua reserva. O recepcionista saberá o que fazer. Ele sabe que você simplesmente quer fazer checkin e fará os procedimentos necessários.

Reserva de hotel no idioma do país visitado Reserva de hotel no idioma do país visitado

No dia a dia dos passeios você precisa basicamente se deslocar, se alimentar e visitar locais. Já abordamos o deslocamento. Em relação à alimentação, é o mais fácil. Basta você ir a um restaurante ou lanchonete e apontar o que deseja. Se for um supermercado é ainda mas fácil, pois você poderá analisar com calma os produtos e escolher o que deseja e depois se dirigir ao caixa, onde simplesmente você apresentará o produto e no final fornecerá o cartão de crédito ou dinheiro e receberá o troco.

Para visitar locais você precisa comprar tickets (nos locais que são pagos) ou simplesmente entrar (ou esperar numa fila) nos locais gratuitos. Como falei anteriormente é bom já ir com tudo pesquisado e anotado. Assim você saberá antecipadamente quanto custa mais ou menos cada coisa e tudo ficará menos difícil. Na hora de comprar um ticket para algo você pode já ter anotado o que deseja e mostrar a anotação e depois pagar. Vale lembrar que sessas situações é sempre útil observar muito. Se você está em dúvida sobre como entrar em algum lugar ou qual o procedimento para comprar um ticket de metrô numa máquina automática aprenda com os outros. Fique atendo, observe alguém fazendo e faça o mesmo. Essa mesma técnica serve para a maioria das situações, pois copiar sempre foi uma técnica de aprendizado eficiente.

É possível mas não é o melhor

Como eu disse anteriormente, é claro que se você puder se comunicar melhor será tudo mais fácil e agradável. Pode sim surgir situações onde você não entenderá o que acontece, e isso torna as coisas mais difíceis, é bem verdade. Todas essas sugestões que faço são baseadas em experiência durante diversas viagens e não é demagogia. Eu falo inglês e me comunico bem em espanhol, mas mesmo assim já passei por situações semelhantes às que coloquei acima. Quando estive na frança, em vários lugares, inclusive em táxis e restaurantes as pessoas não falavam inglês (ou porque não sabiam ou por que não queriam, já que os franceses tem fama de não gostarem de falar inglês) e tudo ocorreu bem, sem dificuldades. Lembro que tomamos um táxi e o motorista não falava uma palavra de inglês, mas chegamos ao nosso destino de nenhuma dificuldade. Situações semelhantes já aconteceram comigo na Índia (em regiões onde só falavam hindi), na Tailândia e na Bélgica.

 

De forma alguma a intenção desse artigo é desestimular as pessoas que desejam aprender um idioma. Pelo contrário. Poder se comunicar bem deixa você muito mais independente e tranquilo, além de tornar a viagem mais rica, mas é possível sim ir e vir sem contratempos. Quero deixar claro que mesmo falando alguns idiomas você pode querer ir a um lugar onde não se fala nenhum deles e nem por isso você precisa deixar de visitar esse lugar.  Se você for iniciar o estudo de uma língua e não tiver um motivo forte para escolher uma em específico eu sugeriria que escolhesse o inglês. O inglês é o idioma universal e sempre você vai encontrar alguém que consegue pelo menos entender alguma coisa ou se comunicar basicamente. Em Aeroportos, pontos turísticos e hotéis é comum que o recepcionista ou atendente  fale inglês, mesmo em países que falam outro idioma.

Lembre: as chaves para consegui fazer uma viagem para um país que fala um idioma que você não domina são o planejamento, a pesquisa e a observação. Quanto mais coisa você souber sobre o país, seus costumes e seu roteiro mais tranquilo será. Além disso vale lembrar que mesmo alguém que não fala inglês consegue entender algumas palavras básicas e expressões como "stop", "no", "yes" e etc. Planejando e se preparando você fará a viagem de forma segura. Caso não domine o idioma você pode aproveitar para aprender um pouco durante a viagem, já que estará em contato constante com a cultura. Ao voltar para seu país aprofunde o conhecimento no idioma para na próxima viagem fazer tudo com mais tranquilidade e liberdade.

 

Encontrou erros nesse post? Comunique!

Viagens

Ver todas
RBBV Código Criativo