Blog Fazendo as Malas

Fortaleza, Canoa Quebrada e Beberibe: como conhecer e aproveitar em dois dias

Canoa Quebrada é um destino incrível com atrações interessantes e para todo tipo de turista.  Essa região de areias vermelhas e um pouco desértica do litoral cearense foi elevada ao status de atrativo turístico quando começaram a perceber que passear pelas dunas pode ser uma ótima atividade quando bem planejada. Canoa Quebrada fica 162 km ao sul de Fortaleza, está  aproximadamente a 3º da linha do Equador e possui um clima estável, entre 27 ºC e 30 ºC durante todo o ano.  Se você gosta de praia não deixe de conhecer esse local com beleza singular e exótica.

Há atividades e atrações para todo tipo de turista: desde esportes de aventura como paragliding (passeio de paraquedas dirigível), kite-surf, descida de dunas e mergulho como passeio de buggy, visita restaurantes e ótimas praias para banho. Se a viagem for bem programada é possível conhecer essa região e aproveitar bem num fim de semana. Nós viajamos numa sexta a noite e voltamos num domingo à noite e pudemos conhecer os melhores pontos e ter ótimas experiências, as quais vou detalhar neste port.

Como chegar em Canoa Quebrada

  • Saindo de Fortaleza, seguir a CE-040 direção Aracati. Depois contornar a cidade de Aracati pela BR-304 até a entrada de Canoa Quebrada.
  • Também pode seguir pela BR-116 até o Boqueirão do Cesário (CE) e depois a BR-304 até a entrada para Canoa Quebrada, logo depois de Aracati.
  • Vindo de Natal, seguir a BR-406 até a cidade de Mossoró (RN) e depois a BR-304 até a entrada de Canoa Quebrada, 1 km antes de chegar em Aracati.
  • Outra possibilidade é ir de avião. Nesse caso você terá de pousar em Fortaleza e seguir de carro, ônibus ou passeio contratado por uma agência e seguir até Canoa Quebrada. Nó fomos de avião e mais abaixo darei todas as dicas sobre a contratação desse tour.

 

Nossa chegada e a aquisição do passeio

Nós chegamos no aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza, às 9 da noite. De lá pegamos um táxi (na verdade 2, por que estávamos em 8 pessoas) e seguimos para a Praia do Futuro, mas precisamente para a Avenida Dioguinho, onde ficava localizado apartamento que alugamos por 2 dias. Essa ainda é uma forma de hospedagem não muito difundida, mas na maioria das vezes é uma ótima relação de custo x benefício. Nesse caso alugamos um amplo apartamento a 2 quadras da praia, com três quartos, todo mobiliado, por 160 reais a diária. Dividindo isso por 8 pessoas ficou míseros 20 reais por dia por pessoa.

Por outro lado, para o proprietário do imóvel também é muito vantajoso, já que, se nesse preço ele conseguir alugar 20 dias por mês estará arrecadando cerca de 3200 reais num mês, o que é bem mais (mais ou menos o dobro, nesse caso) do que ele conseguiria alugar no modelo tradicional, para um morador fixo. Esse tipo de hospedagem está crescendo no Brasil e existem vários sites que intermedeiam. Os mais conhecidos são http://www.aluguetemporada.com.br e https://www.airbnb.com.br.

Aeroporto Pinto Martins Aeroporto Pinto Martins

Antes mesmo de sair de Salvador nós contratamos um passeio para o dia todo que incluiria o transporte de ônibus de ida e volta de Fortaleza para Beberibe e Canoa Quebrada, um tour de caminhada e  um passeio de buggy por Beberibe.

O valor cobrado normalmente pela operadora Trans Gold Tour é de 50 reais por pessoa, mas como estávamos num grupo de 8 pessoas conseguimos negociar por 35 para cada um. Considerando que é um passeio durante todo o dia e que são percorridos mais de 300 km para ir e voltar acho que não ficou caro. Vale lembrar que nesse valor não está incluso o passeio de buggy, que custa 50 por pessoa e o almoço, que são pagos separadamente. Existem diversas outras empresas que fazem passeios semelhantes, mas pela nossa pesquisa essa foi a mais em conta.

O trajeto de Fortaleza até Beberibe

A Trans Gold Tour nos pegou na Praia do Futuro, onde estávamos hospedados (atrasaram mais de 40 minutos) e seguimos num micro-ônibus até Beberibe. O veículo era recente, bem conservado e com ar-condicionado. A bordo quem nos recepcionou foi o Sena, um cearense que faz as filmagens do passeio (para depois vender) e fez um bico de comediante durante uma parte do trajeto. No começo não foi muito engraçado, mas aos poucos começou a arrancar umas risadas.

De ônibus até Beberibe De ônibus até Beberibe

O humor dele é meio ácido, falando mal de cada região, de acordo com as origens do grupo do dia. Algumas pessoas podem não curtir ou até mesmo se ofender com algumas das piadas, mas foi engraçado. Depois de quase 30 minutos de "stand up comedy" de Sena ele se cansou e investimos a uma hora e meia restante em dormir e guardar energias para o resto do dia. A boa qualidade da estrada nos permitiu cochilar sem percalços.

O passeio fantástico de buggy

Chegamos na Associação de Bugueiros do Litoral Leste, em Beberibe, e saltamos do ônibus. Como o buggy não está incluso nós pagamos (R$ 50,00 por pessoa) o valor direto com a associação (uma funcionária fica responsável pelos recebimentos), escolhemos um buggy e seguimos, em carreata com os outros para o Centro de Artesanatos, que fica próximo da praia e de lá fizemos um percurso caminhando até o Labirinto das falésias.

Visual lindíssimo Visual lindíssimo

Nesse trecho passamos por várias lojas de lembrancinhas e artesanatos e fomos acompanhados por "guias de turismo". Esses guias não são da operadora de turismo. Segundo o Sena fazem parte de um projeto social e auxiliam sem nenhum compromisso mas na expectativa de uma contribuição no final desse trajeto a pé, que é bem pequeno e muito fácil de seguir. Esses guias ficam sempre uniformizados de amarelo.

Passeio de buggy Passeio de buggy

Nesse trecho há paisagens lindíssimas e é possível tirar muitas fotos bacanas, combinando um visual de falésias (pequenos morros arenosos) e com o mar ao fundo. Depois da caminhada e de passar pelo Labirinto nós subimos novamente no buggy e continuamos o passeio, tendo como próximo destino as Falésias do Morro Branco. Essa combinação de falésias, praia e mar é algo não muito comum (na Bahia ocorre bem ao sul, na região de Prado) e forma o cenário realmente belo.

Passeio de buggy em Beberibe e Canoa Quebrada Passeio de buggy em Beberibe e Canoa Quebrada(vídeo)

Depois passamos pela Três Bicas (bicas naturais onde se pode tomar banho) e fomos à Gruta da Mãe D'água. Esse gruta é bem interessante, já que se forma no meio entre as falésias e o mar e a água salgada entra na gruta. Apesar das paredes da gruta parecerem frágeis (de argila) elas estavam bem sólidas.

Pudemos caminhar um pouco e entrar na gruta e depois seguimos para a Bica da Juventude, que é bem mais pujante e forte do que a Três Bicas. Como é comum nessas bicas, foi contada umas daquelas histórias que algumas crianças aina acreditam: se tomar banho nesse bica rejuvenesce. Sem esperanças tomei banho somente para refrescar o calor que fazia.

Todo esse trajeto realizado até esse momento tinha sido pela praia, que estava com a maré baixa e com muito espaço para os buggies, mas a partir desse ponto começaria o trecho de aventura, pelas dunas. Passamos por um pequeno trecho de asfalto, saindo da praia até as dunas, e depois seguimos pelo "deserto" branco, sempre avistando vários geradores eólicos. Infelizmente o motorista nos disse que nesse trecho não se podia fazer o passeio "com emoção", mas mesmo assim foi bem legal.

Passeio de buggy Passeio de buggy

O "com emoção" seria bem mais radical e apesar de não ser permitido. Subimos e descemos várias dunas até passarmos pela Lagoa do Uruaú, uma porção de água doce linda, onde se pratica kite-surf e ótima para um banho. Na beira da lago há algumas barracas. O preço assustou um pouco: o coco custava 5 reais. Isso sempre acontece nesses lugares de difícil acesso, infelizmente.

 

Canoa Quebrada

Canoa Quebrada Canoa Quebrada

Canoa Quebrada fica a 18 km da sede do município de Aracati. O ônibus nos deixou bem perto do acesso à praia, que fica também numa região de falésias. Lá nos fomos para um barraca que fica encravada na falésia e com uma parte em cima d'água quando a maré está cheia (como naquele momento). Como já era quase 3 da tarde todos fomos almoçar. Para chegar ]à barraca tivemos de descer um escadaria de madeira que permite passar entre as falésias.

Em quanto fizemos esse pequeno percurso fomos surpreendidos por diversos paraglides (paraquedas dirigível) sobrevoando as nossas cabeças. Todos eles estavam fazendo passeio. Na cadeirinha podíamos ver duas e até três pessoas em cada um deles, curtindo um visual incrível e aproveitando o vento que emergia ao vir do mar e se chocar com as falésias. O preço por pessoa para um passeio desse fica por cerca de 70 reais. Se você negociar bastante consegue um valor até menor. Uma funcionária da barraca tinha me dito que custava 80 reais e eu resolvi, na saída, ir até a rampa de decolagem consultar o preço e antes mesmo de eu chorar ele disse que fazia 70 e deu para perceber que se chorasse faria até por menos.

Céu azul e paragliding Céu azul e paragliding

Há muitos (dezenas deles) fazendo passeios e por isso a concorrência deve ser grande. Infelizmente devido ao horário de saída do ônibus não daria tempo, mas eu fiquei com muita vontade e se tivesse mais tempo com certeza teria feito. Depois de comer voltamos para Fortaleza, percorrendo praticamente todos os 162 km  todo dormindo (eu e quase todos no ônibus).

A falha da cinegrafia

Como foi dito inicialmente o Sena é o cinegrafista e ele filmou todo o passeio com o intuito de vender um DVD com uma compilação do dia por 50 reais. Quando estávamos na Lagoa Uruaú eu o questionei sobre a qualidade da filmagem, especificamente a resolução. Ele se embananou um pouco e terminou dizendo no final que me entregava gravado em um DVD.

Escadaria de Canoa Quebrada Escadaria de Canoa Quebrada

Eu então o alertei que a qualidade  (resolução) de um DVD é muito baixa se comparado com uma câmera de alta resolução (FullHD ou 4K) e ele pareceu não compreender muito bem isso. O resultado é que a contragosto meu o grupo adquiriu o DVD e depois verificamos que a qualidade das filmagens que eu fiz, em FullHD, com meu smartphone, ficaram infinitamente melhor do que a que foi adquirida.

Então se você está a procura de uma filmagem de qualidade com certeza não deve adquirir esse DVD.  Além disso ainda tivemos um problema na entrega do DVD. Pagamos e eles esqueceram de entregar no apartamento onde estávamos e tiveram de enviar por correio, dias depois.

Segundo dia para passear por Fortaleza

Para o segundo dia planejamos fazer três coisas bem diversas: conhecer o Mercado Central, visitar o Parque do Cocó e depois ir para a Praia do Futuro e no Crocobeach. Queríamos conhecer diferentes aspectos da cidade (cultura, belezas naturais e curtir a praia) e depois de alguma negociação no grupo conseguimos definir esses pontos como os mais interessantes.

Mercado Central de Fortaleza

O Mercado Central fica no centro da cidade e é especializado em produtos artesanais e por isso seria uma ótima oportunidade para conhecermos um pouco mais sobre a cultura e tradições da região. Tomamos dois táxis (já que estávamos num grupo de 8) e pagamos 35 reais por cada veículo, nos deslocando pela parte central da cidade e não pela orla por que era 7 de setembro e a avenida Beira-mar estava fechada para o desfile de independência. Neste espaço público de 1.200 metros quadrados e vários andares pode-se encontrar muita variedade e bons preços.

Mercado Central de Fortaleza 3 Mercado Central de Fortaleza 3

O prédio é bem estruturado e tem rampas e elevadores e conta com centenas de lojas. Além dos produtos bonitos e bem acabados é interessante a maneira de negociar dos vendedores, que me lembrou  as negociações que ocorreram em Shenzhen, na viagem que fizemos para a China. Você pergunta e o vendedor diz o preço e se você não demonstrar muito interesse ele pergunta quanto você quer pagar. Para nossa surpresa não era somente papo de vendedor. Ele pediu 40 reais numa bolsa (já pediu um preço bem acima) e foi oferecido 25. Ele aceitou na hora e foi fechado negócio. A estratégia deles é pedir um valor alto para ver se cola. Se você for do tipo que não pechincha vai pagar caro. Então o conselho é perder a vergonha e negociar. Isso já é meio que uma tradição dos vendedores cearenses. Em várias oportunidades fui abordado por vendedores de rede cearenses em diferentes locais do Brasil e eles sempre pediam alto e iam negociando até chegar num preço mínimo. Apesar da tradição do "choro" há lojas no Mercado Central mais "sérias" que não trabalham assim e já dizem o preço realista. Então a dica é tentar negociar em todas e se ver que não cola é por que a loja não segue a "tradição" da pechincha.

Mercado Central por dentro Mercado Central por dentro

Como foi dito, o Mercado Central é mais focado em artesanato e roupas com componentes manuais (como bordado), apesar de haver um pouco de tudo. Se você procura roupas não artesanais a dica é seguir um pouco adiante, e observar a alguns metros depois do Mercado Central um viaduto. Debaixo desse viaduto há um comércio de rua com roupas bem baratinhas e logo depois do viaduto há um mini centro de compras com várias lojas com preços inacreditáveis. Só descobrimos isso já na saída, mas as mulheres do grupo não perderam a oportunidade  de fazer compra de roupas a preços incríveis.

Parque da Cocó

O Parque Ecológico do Rio Cocó, chamado oficialmente de Parque Adhail Barreto, é um parque estadual de conservação da vida natural. Tem importância fundamental para o clima da cidade devido à sua extensão de matas e espelhos d'água e permite também que população da cidade tenha uma opção de lazer integrada à natureza.

Entrada do parque Cocó Entrada do parque Cocó

Apesar do tamanho e importância do parque para a cidade o taxista não frequentava o mesmo e por isso teve dificuldade de nos levar ao ponto de acesso do parque. Por ser muito grande ele toma uma parte significativa da cidade, mas é cercado e para entrar é necessário ir a uma das portarias, e essa foi a dificuldade. Depois de perceber que o taxista estava meio perdido liguei o GPS e junto com perguntas a transeuntes conseguimos chegar a um dos acessos principais. A dica é procurar pelo acesso (no GPS ou perguntando) da entrada que fica na Avenida Washington Soares.

Entramos no parque e apesar do desconhecimento do taxista pudemos observar que o parque estava bem movimentado. Era domingo e havia muita gente caminhando e correndo. Seguimos pela trilha principal caminhamos por cerca de 40 minutos e pudemos observar uma imensa riqueza vegetal e animal. O Rio Cocó corta todo o parque e vimos também peixes, macacos, micos, gatos, pássaros e lagartos.

Mico no parque da Cocó Mico no parque da Cocó

O parque é ideal para quem quer fazer uma atividade na natureza, um piquenique ou uma caminhada. Se você quiser rodar o parque todo deve reservar o dita todo (e ainda assim vai ser bem difícil), por que ele é bem extenso e abrange uma área de 1.155 hectares. Voltamos pelo mesmo trajeto que fizemos na ida até chegar novamente ao acesso principal, onde fica o Centro de Referência Ambiental do Parque. Como era domingo estava fechado, mas nesse local ocorrem exposições sobre o parque nas quais o visitante tem a oportunidade de conhecer detalhes sobre a fauna e flora do mesmo.

 

 

Rio Cocó do Parque do Cocó Rio Cocó do Parque do Cocó

Crocobeach

Saindo do parque seguimos para o Crocobeach, que fica na Praia do Futuro. O Crocobeach é um verdadeiro complexo de lazer à beira-mar. Ocupa uma área imensa e possui uma infraestrutura incrível, com milhares de mesas (sim milhares), diversos ambientes, piscinas e um paisagismo muito bonito. Há palco para shows, diferentes tipos de restaurantes, ambientes abertos e fechados, culinária diversificada e uma equipe imensa de funcionários.

A única questão que não ficou clara na minha cabeça é como esse empreendimento consegue continuar funcionando, já que utiliza uma parte da praia para suas instalações fixas. Essa área (de faixa de areia), por lei federal é da Marinha do Brasil e não poderia ser utilizada por um empreendimento privado. Em Salvador, por exemplo, todas as barracas de praia foram demolidas por ordem da justiça federal, depois que se verificou que estavam numa área de Marinha. Mas isso é só um observação pessoal.

Entrada do Crocobeach Entrada do Crocobeach

Apesar da questão legal o espaço é muito bonito e muito organizado. Talvez um dos atenuantes que fazem com que o empreendimento continue funcionando é o fato de o acesso ao local ser livre, sem nenhum tipo de controle de entrada e saída. Apenas para acesso a algumas partes especificas (como as piscinas) é que faz-se necessário pagar e o custo é de 10 reais (no caso da piscina). Uma questão interessante é o fato de haver cocos gigantes (artificiais) presos em alguns coqueiros, de forma que ficam parecendo reais, dando um efeito muito interessante.

Nós entramos e fomos à procura de parte do nosso grupo que havia se separado na hora do almoço. Rodamos por mais de meia hora, pelas milhares de mesas, e não os encontramos e decidimos ficar bem na beira da praia, numa das dezenas de mesas que ficam cobertas por pequenos quiosques.

Mesas do Crocobeach Mesas do Crocobeach

A praia dessa região é muito bonita mas as ondas estavam fortes e por isso não havia muita gente na água. eu fui um dos poucos que entrei e pude perceber uma forte corrente que pode facilmente fazer com que uma pessoa que não nada bem se afogue. Por tanto tenha cuidado, especialmente se a maré estiver cheia. Apesar do ambiente requintado os preços dos itens do cardápio não estavam caros (por exemplo um coco custou 3 reais) e possivelmente devido a isso o Crocobeach estava tão cheio e apesar do número de clientes e mesas conseguimos ser atendidos satisfatoriamente.

 

 

Praia do Futuro/Crocobeach Praia do Futuro/Crocobeach
Praia do Futuro - mar forte Praia do Futuro - mar forte

Beach Park e retorno

O Crocobeach foi o nosso último local depois de voltar para o apartamento (a duas quadras do Crocobeach) e voltar para Salvador. Com certeza há diversas outras coisas interessantes para se conhecer em Fortaleza e nas regiões próximas, como Cumbuco, mas se você se organizar e planejar é possível num fim de semana se divertir e ter uma boa noção das belezas e cultura de Fortaleza e região. Apesar do Beach Park ser uma atração interessante nós julgamos que o preço da entrada estava muito alto e decidimos que esse dinheiro (R$ 170,00) seria melhor investido em outras coisas. Mesmo o custo da entrada sendo alto é uma atração interessante que fica a 17 km da Praia do Futuro e a 26 do centro de Fortaleza, seguindo para o litoral sul. Se você for o ideal é reservar um dia todo para passar no parque e poder aproveitar ao máximo o valor investido.


 Caso você tenha visitado o Beach Park deixe nos comentários a sua experiência!

 

Encontrou erros nesse post? Comunique!

Viagens

Ver todas
RBBV Código Criativo