Blog Fazendo as Malas

Nascidos para viajar: genética pode ter influência na vontade de se aventurar pelo mundo

Há aqueles que se sentem felizes no conforto do lar, com toda segurança e conforto e preferem não se aventurar pelo mundo afora. Sentem-se realizados em ter uma boa carreira, um carro confortável e uma casa bacana.

Por outro lado há os aventureiros, aqueles que estão sempre inquietos e procurando um novo destino, uma nova descoberta, uma nova aventura. A ciência moderna já mostrou indícios de que as influências e o contexto são tão ou mais importantes que a herança genética, mas isso não quer dizer que o DNA não seja importante.

Vontade pode ter influência genética

Cientistas da Universidade da Califórnia Irvine publicaram um artigo científico que indica que o Receptor Dopamina D4 (DRD4) pode influenciar na vontade de migrar e viajar e analisa a distribuição desse gene nas diferentes populações pelo mundo.

Os povos que migram e conquistam mais tendem a espalhar seu gene pela mundo e por isso a disseminação é favorecida. Os vickings foram grandes desbravadores do mundo, navegando em seus barcos por boa parte do mundo quase 500 anos antes das chamadas grandes navegações.

Eles conquistaram grande parte da Europa e da Ásia e são os ascendentes dos que vieram nos séculos seguintes a conquistar o continente americano, oceânico e boa parte do africano.

 

Trilha na Chapada Diamantina Trilha na Chapada Diamantina

Para o estudo em questão, essa ânsia por viajar e desbravar pode ter influência genética. O gene DRD4, relacionado a aspectos bem específicos, entre eles a busca pela novidade parece ter sido associado aos padrões de migração populacional na pré-história.

Comparados aos grupos sedentários, os migratórios apresentavam a mesma variação no DRD4, o chamado DRD4-7r.  Segundo a pesquisa a incidência desse gene na população mundial varia, sendo de cerca de  20% da população européia.

Viagens Fazendo as Malas Viagens Fazendo as Malas

O gene da aventura está na composição genética de milhões de indivíduos pelo globo. Talvez isso ajude a explicar porque algumas pessoas desejem as mudanças constantes, além da busca por carimbos no passaporte. Um caminho possível para entender o seu comportamento pode ser verificar a própria árvore genealógica.

Migrações e aventuras na história

A pesquisa parte do princípio de que a espécie humana teve origem na África e de lá migrou pelo globo ao longo dos milênios. Segundo o estudo os portadores do DRD4 estavam geneticamente pré-dispostos a migrar, mas somente uma pequena parte desse conjunto de fato expressou essa característica, em quanto que a maior parte da população preferia se fixar e desenvolver métodos para aprimorar o uso da terra.

Expansão Viking Expansão Viking - fonte Wikipédia

 

Após esse longo processo de migração ocorrido ainda antes do início das primeiras civilizações a espécie humana começou a desenvolver diferentes culturas e tradições. Sempre fez parte da cultura humana guerrear e se apossar do território e recursos dos outros.

A história e a evolução da humanidade estão ancoradas em guerras e disputas, mas normalmente essas invasões e migrações ocorriam de forma local ou regional. Isso ocorreu com os egípcios que se expandiram por grande parte do norte da África e oriente médio.

Barco Viking Barco Viking

 

Posteriormente várias outras civilizações se expandiram e migraram, como os Romanos. Mas foram os Viking que mais se aventuraram pelo mundo com sua tecnologia de navegação marítima.

Eles invadiram vários territórios europeus, da Ásia, da costa norte da África e até mesmo da Groenlândia e da América do Norte. É incrível pensar que ainda no século IX os vikings faziam a travessia do Atlântico em direção ao continente americano. Apesar das grandes conquistas e viagens eles não grunhiam, não eram estúpidos e também não lutavam vestindo elmos adornados com chifres de boi, como o cinema ou a literatura costuma retratar.

Viajantes atuais

No mundo atual não há mais muito espaço para grandes conquistas e de uma forma geral vivemos num mundo mais civilizado, apesar das várias mazelas que assolam diferentes povos. Assim, essa predisposição para viajar e se aventurar hoje se expressa de formas diferentes. Alguns o fazem através do turismo e aventuras, outros a trabalho e outros rodam o mundo em missões humanitárias.

Snowshoeing no Canadá Snowshoeing no Canadá

 

Os alemães tem uma palavra para isso: wanderlust. Significa vontade incontrolável de viajar, explorar o mundo e descobrir novos horizontes. Wandern = caminhar, passear, migrar + lust = desejo).

É claro que essa pré-disposição genética a se aventurar e viajar não é determinística e tanto uma pessoa que não tenha essa origem genética pode desenvolver essa característica quanto quem a tem pode suprimi-la ou estimulá-la de acordo com o meio ambiente e influências, mas esse gene é algo relevante para entender o comportamento humano, especialmente dos viajantes que muitas vezes largam tudo e saem com uma mochila nas costas em quanto outros preferem ficar com os pés enraizados.

Cruzando a fronteira Panamá-Costa Rica Cruzando a fronteira Panamá-Costa Rica

 

Um bom exemplo dessa vontade de viajar levado ao extremos é do casal que está viajando o mundo a mais de 29 anos, sem parar. Eles Já percorreram mais de 180 países no mesmo carro!

E você, também sente essa vontade insaciável de viajar, descobrir o novo e se aventurar por aí? Comente e compartilhe como você sacia esse desejo de descoberta.

Encontrou erros nesse post? Comunique!

Viagens

  • Chapada dos Veadeiros
    5 dias de viagem e 4 viajante(s)
    •  República Federativa do Brasil
    Salvador - Brasília - Alto Paraíso de Goiás, Goiás - São Jor...
  • Aventura Nordeste
    4 dias de viagem e 4 viajante(s)
    •  República Federativa do Brasil
    Salvador - Maragogi - Arcoverde - Buíque - Catimbau - Piranhas -...
Ver todas
RBBV Código Criativo