Relato de viagem

Canyon 2 e Cariocas no Parque Nacional da Chapada Dos Veadeiros

Fazia algum tempo que eu não fazia uma boa trilha e adoro pegar uma mochila, colocar nas costas e ir para o mato. Hoje iríamos fazer isso e pelo que tudo indicava por um longo trecho e com paisagens belíssimas. O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros atualmente não cobra nenhuma taxa para entrada. Pelas pesquisas que fiz antes da viagem já foi cobrado anteriormente, mas atualmente não há nenhum custo e nem mesmo é exigida a contratação de guia. O portão de acesso fica a 1 km da vila de São Jorge e dá até mesmo pra ir andando.

Acesso ao Parque da Chapada dos Veadeiros

Há uma portaria bem grande, com uma estrutura impressionante. Nessas instalações há banheiros, diversas salas, e várias informações sobre o parque e suas atrações. Como fizemos essa viagem num feriadão o acesso principal estava bem cheio. Havia filas e vários grupos escolares que fazem excursões vindo de Goiânia e Brasília. A fila existia por que há uma limitação de pessoas que podem entrar e cada pessoa tem de preencher alguns dados e se responsabilizar por sua integridade. No site oficial do Parque Nacional consta os horários, as limitações de quantidade de pessoas e várias outras dicas importantes.

Para entrar no parque ficamos alguns minutos aguardando na fila, preenchemos a ficha e seguimos.

Dia cheio na portaria do parque Dia cheio na portaria do parque

Uma funcionária um pouco chata dizia que não conseguiríamos visitar  duas atrações no mesmo dia, que era impossível, e que era necessário informar em qual iríamos. Eu disse que tentaríamos visitar mais de uma e que decidiríamos no caminho qual seria. Ela brava disse que não podia, que tínhamos de dizer naquele momento. Dissemos então que iríamos ao canyon (mas entre nós decidimos que se fosse possível iríamos numa segunda atração).

 

As quatro atrações principais do parque são:

  1. Travessia das Sete Quedas, com trilha de 23,5 km, com nível de dificuldade considerado difícil e é necessário dormir acampado (numa área especificada para isso) no trajeto para conseguir completar o trajeto e  neste percurso o visitante passa pelo canyon.
  2. Trilha dos Saltos, com 9 km de ida e volta, duração aproximada de 4 a 6 horas e nível de dificuldade considerado médio. É importante se atentar ao horário de início da caminhada, já que o parque fecha às 18:00.
  3. Trilha dos Canyons, com 10,5 km de ida e volta e também duração de 4 a 6 horas e dificuldade média. Neste percurso o visitante pode visitar o Carioca se pegar uma bifurcação depois de 5 km e andar mais 1km (depois tem de voltar para a trilha original)
  4. Trilha da Seriema, com extensão de 800 metros para ir e voltar e duração de 1 hora e 30 minutos e nível de dificuldade fácil.

Em todas as trilhas há sinalização com setas indicando o sentido de ir e voltar.

Ponte na trilha para os Canyons Ponte na trilha para os Canyons

Trilhas seguras, sinalizadas e bonitas

As setas em branco indicam o percurso de volta e as de outras cores o de ida, de acordo com a trilha, e por isso não foi difícil achar o destino. Além disso há um grande fluxo de pessoas indo e vindo, especialmente em feriados ou fins de semana. Como queríamos imprimir um bom ritmo para tentar visitar duas atrações fizemos alguma ultrapassagens. A maior parte do trajeto é plano, com vegetação baixa e terreno arenoso. Nesse trajeto para os Canyons passamos por pontes e córregos, mas o ideal é levar sua garrafinha de água, cantil ou camel back. Vale lembrar que em todo o trajeto que percorremos o sinal de celular estava ativo, o que tranquiliza um pouco aqueles que têm um pouco de receio de se perder ou sofrer algum acidente. Diferente da Chapada Diamantina, onde costumamos fazer trilhas mais pesadas, passando dias e dias no mato, sem ver ninguém, os atrativos da Chapada dos Veadeiros são todos de fácil acesso e é totalmente seguro, mesmo para os inexperientes.

 

Canyon II, um lugar para o dia inteiro

Apesar da informação de que eram necessárias duas horas para percorrer o trajeto ao Canyon, apertando o passo conseguimos chegar em menos de uma hora e meia, o que nos permitia vislumbrar a possibilidade de visitar outra atração a tarde, provavelmente a Trilha dos Saltos.

Vista da parte alta do Canyon II Vista da parte alta do Canyon II

Apesar de pensar nisso estávamos naquele momento desfrutando do visual incrível do Canyon II e não fomos no Canyon I por que ele está  fechado há alguns anos devido a uma espécie de pato que está em extinção. Esse atrativo é composto de um poço grande na parte superior, um canyon estreito por onde a água passa com bastante força e um segundo poço na parte inferior, mais amplo onde as pessoas tomam banho. Todo o canyon é de pedras e há uma parte alta com um visual incrível, perfeito para tirar fotos. Para tomar banho o melhor é no segundo poço e lá também há um local para saltos do alto de uma pedra, caindo no poço. Normalmente há sempre um fluxo de  pessoas fazendo esses saltos, que podem ser de três alturas diferentes. Eu, claro, não perdi a oportunidade de saltar. O ponto mais alto é cerca de 5 metros, mas lá de cima parece bem mais alto. Algumas pessoas chegavam até o ponto do salto mas fraquejavam na hora H. Havia uma estrangeira que tentou o salto e ficou com medo. Quando ela estava lá em cima todos gritavam "Jump! Jump! Jump!", mas ela não pulou.

Poço maior do Canyon II Poço maior do Canyon II

Nos aventurando na garganta do Canyon

A água neste dia (e imagino que é sempre assim) estava bem gelada, cerca de 15 graus Celsius. Parecia uma bacia cheia de gelo, mas o banho é bem gostoso e relaxante. Depois que você entra na água não quer mais sair. Não há lugar muito plano para ficar sentado e por isso cada um se arruma numa pedra ou fica na água mesmo. Nós decidimos descer o canyon (a garganta). Fomos para a água, escalamos um pouco as pedras e fomos pela lateral do canyon se segurando nas rochas até um ponto onde nos saltamos e descemos com a forte correnteza. Foi uma delícia!

Ducha na cachoeira Carioca Ducha na cachoeira Carioca

Depois disso fizemos um lanche (nós que trouxemos, pois não há nada a venda por lá) e ficamos lá, tomando um sol e relaxando. Conversamos sobre a possibilidade de irmos para outra atração. Se fôssemos rápidos daria tempo, mas seria muito corrido e não aproveitaríamos tanto. Por isso decidimos ficar por ali mesmo e voltar mais tarde. Além disso a fome começava a bater e o lanche foi só um paliativo e se fôssemos para a Trilha dos Saltos chegaríamos ao final do dia e famintos.

Cachoeira Carioca Chapada dos Veadeiros Cachoeira Carioca Chapada dos Veadeiros(vídeo)

No meio do caminho tinha uma carioca

No retorno vimos uma placa para a atração Cachoeira Carioca e decidimos visitá-la. Não nos tinham explicado sobre a possibilidade de visitá-la no retorno do Canyon II, e essa foi uma surpresa feliz. Para chegar à cachoeira é necessário descer um penhasco muito íngreme, pois a cachoeira fica numa baixada, mas vale a pena. É uma cachoeira maravilhosa, também com dois poços, um maior e um menor. Além disso há uma atração especial: uma pedra no poço onde é possível desfrutar de uma massagem natural! Wesley e eu aproveitamos mas tivemos dificuldade para subir na pedra, que é bastante escorregadia e difícil de subir.

Rua da vila de São Jorge Rua da vila de São Jorge

Da Carioca seguimos de volta pela  trilha até a saída do parque. No momento que você passa pela portaria um funcionário pergunta sobre os integrantes do grupo, para dar baixa. Essa é uma forma de melhorar a segurança, já que se se alguém que entrou não voltar deve ser acionada uma equipe de resgate.

Fomos até o estacionamento, pegamos o carro alugado e fomos direto para o Armazém São Jorge. Apesar de gostoso, o almoço do dia anterior não foi muito farto, e para fazer a janta/almoço desse dia faltava alguns poucos itens: tomate e ovos. Tudo na vila de São Jorge fica bem pertinho e dá pra ir andando. Logo ali do lado do armazém há uma lan house mas vale salientar que não há nem posto de combustíveis nem banco na vila. Esses dois serviços só estão acessíveis em Alto Paraíso, a 32 km da vila.

Ao voltarmos pro nosso campig nos deparamos com novos vizinhos, um casal de brasilienses. Começamos a fazer nossa comida e a conversar com eles, e a conversa foi até mais tarde. Ficamos todos amigos e terminamos combinando de irmos todos juntos no Poço Encantado e na Cachoeira Santa Bárbara, no dia seguinte.


 

Mais informações:

Site oficial do parque: http://www.icmbio.gov.br/parnachapadadosveadeiros/guia-do-visitante.html

Site do camping Portal da Chapada: http://www.portaldachapada.com.br/site/

Encontrou erros nesse post? Comunique!
RBBV Código Criativo