Relato de viagem

Descubra as atrações no topo do Monte Roraima que fascinam os aventureiros

O trajeto das trilhas e a aventura de subir o Monte Roraima proporciona uma experiência incrível de conquista pessoal, aprendizado e descobertas, mas a chegada ao topo, sem dúvida é um momento especial. Não só pelo desafio, como pela beleza do local e também pelas várias atrações disponíveis lá em cima. Neste post explicamos os locais mais interessantes para visitar no topo, o que cada um tem a oferecer e a localização geográfica de cada um. Prepare-se para ter a sensação de viajar no tempo e ver um mundo perdido, inóspito, belo e que foi muito bem retratado no filme Up, Altas aventuras.

Um monte especial

O Roraima é singular por vários fatores, como localização, história geológica, região, fauna, flora e clima. Mas o que torna tudo tão diferente é que mesmo sendo uma montanha bem alta, seu topo tem a maior parte plana, como um chapadão (mas com muita irregularidade na superfície). O topo não é um cume, mas um planalto singular. É possível caminhar, explorar e acampar no monte. Não o tipo de montanha que se sobe, tira uma foto no topo, e desce. As trilhas para chegar até lá e a subida íngreme são parte da aventura. O topo do Roraima é uma atração sensacional e que deve ser explorada com calma. No nosso caso ficamos três dias no topo. Há, no entanto, expedições que ficam de um a 5 dias lá em cima.

E como eu chego nesse paraíso?

O Monte Roraima está localizado em sua maior parte na Venezuela, tendo partes menores no Brasil e na Guiana. A chegada até o monte ocorre em várias etapas. Saindo do Brasil, primeiro você deve ir para Boa Vista, capital de Roraima, de lá pegar um transporte para Santa Elena do Uairén (que fica na Venezuela). De Santa Elena você deve contratar um guia local que irá levá-lo ao Monte Roraima. Nós descrevemos em detalhes todos esses passos, incluindo como chegar no Monte Roraima, também como cruzar a fronteira, como contratar um guia/agência e os custos para uma viagem ao Roraima. Preparamos também uma página índice com todos os posts sobre o Roraima. Para ter uma visão geral sobre as trilhas veja o post sobre as trilhas, duração e distâncias de cada trajeto.

Acampamento Base Militar no pé do Monte Roraima Acampamento Base Militar no pé do Monte Roraima

Quantos dias ficar no topo?

A duração da estadia no topo do Roraima deve ser decidida em função do que você gosta de ver, o que quer curtir e quanto tempo tem disponível. Quando maior a duração também maior será o custo, afinal os pacotes com mais dias custam mais caro. Vale lembrar que estamos tratando de um local selvagem, e por isso todo alimento e qualquer outro recurso (gás para cozinhar, por exemplo) deve ser levado para o topo.

Se o pacote escolhido tiver mais dias no topo, isso vai significar que o seu guia/agência terá que levar mais mantimentos ladeira acima. Subir com peso a subida chamada La Rampa não é fácil. Em outros posts nós explicamos os detalhes e os custos da contratação de guias e demos dicas sobre o que levar na mochila.

Neblica presente a maior parte do tempo Neblica presente a maior parte do tempo

É importante  saber que o tempo no Monte Roraima é bem instável, úmido e chuvoso. Na maior parte do tempo cai uma chuva fina constante e o horizonte fica fechado sendo quase impossível tirar uma foto bacana. De repente, o céu abre rapidamente, um céu azul se mostra e recebemos os raios solares que acalentam o frio. Nesses instantes é o momento certo de fazer fotos e vídeos.

Topo inóspito do Monte Roraima Topo inóspito do Monte Roraima(vídeo)

Devido a essa questão meteorológica, a probabilidade de pegar momentos de tempo bom aumenta, permitindo que você consiga ter visão longínqua do horizonte. Só para se ter uma ideia, quando estávamos chegando no topo encontramos um pessoal que estava descendo e nos disse que tinham ficado 3 dias no topo debaixo de chuva e não tiveram nenhum momento de sol. Nós falamos sobre essa questão no post sobre a geografia, vegetação e clima do Monte Roraima.

 

O tempo abre no Monte Roraima O tempo abre no Monte Roraima(vídeo)

Devido a tudo isso, recomendo que, se possível, fique ao menos três dias no topo. Para conhecer todos os lugares com calma o melhor seria 5 ou seis dias, mas sabemos que nem sempre é possível devido ao tempo e aos custos. No nosso caso optamos por ficar três dias no topo.

As atrações do topo do Roraima

O Monte Roraima é famoso e muito visitado devido a vários fatores: por ser belo, exótico, de difícil acesso (isso motiva aventureiros) e por ter uma história muito interessante. A sensação de estar no topo do Roraima é semelhante a estar em algum mundo perdido, no meio das nuvens e inabitado.

As paisagens do monte são fantásticas e muitas formações rochosas nos deixam intrigados. Ficamos tentando compreender que sequência de eventos geológicos/naturais ocorreram para que a paisagem e o ambiente chegasse nz formação atual. As rochas em formatos inusitados são umas das principais atrações. Mas há várias outras, desde lagos, mirantes, cavernas e jacuzzis. Listamos as principais atrações do Roraima a seguir. No mapa abaixo identificamos onde fica cada atração.

Mapa de atrações do Roraima Mapa de atrações do Roraima

1 - La ventana

É o mirante mais procurado pelos visitantes do Roraima por oferecer uma das vistas mais incríveis do topo. De lá é possível avistar o monte vizinho do lado venezuelano, o Kukenan. Devido à instabilidade do clima lá em cima você tem que dar sorte de pegar um momento bom, com tempo aberto. Quando eu falo momento não é o dia todo, mas sim alguns minutos :-), pois o tempo muda toda hora. O sonho de todo viajante do Roraima é pegar um momento de céu aberto e com nuvens abaixo do monte, o que permite uma sensação de estar acima das nuvens.

Vista da La Ventana no Monte Roraima Vista da La Ventana no Monte Roraima

2- Maverick

Maverick é o nome de uma pedra que recebeu esse apelido pelo seu formato semelhante ao carro  com mesmo nome (fabricado na década de 60/70). Eu não consegui ver o carro :-) É o ponto mais alto do Monte Roraima, chegando a 2.880 metros. Caminhando por  alguns minutos pode-se chegar ao topo e desfrutar de uma vista linda.

Pedra Maverick no Monte Roraima Pedra Maverick no Monte Roraima

3- Abismo da Guiana

Fica próximo à La Ventana e, como o nome denota, fica virado para a Guiana (observa-se a Venezuela e a Guiana). Estando lá no momento certo consegue-se tirar uma daquelas fotos mágicas com as nuvens abaixo do monte.

Abismo da Guiana na parte Venezuelana do Monte Roraima Abismo da Guiana na parte Venezuelana do Monte Roraima

4 - Catedral

Formação rochosa que, segundo os mais imaginativos, lembra uma catedral. Tem uma cachoeira fechada numa espécie de gruta húmida com musgos/limos esverdeados. A temperatura bem gelada da água desencoraja alguns, mas a massagem nas costas é garantida para os menos friorentos quando houver um grande volume de água. Um banho vai te dar uma revigorada!

Catedral no Monte Roraima Catedral de pedra no Monte Roraima

5 - Jacuzzis

Sem dúvida esta é uma das atrações mais bonitas do Roraima. Trata-se de uma sequência de piscinas com águas transparentes e geladas! Você já percebeu que tudo no Roraima é gelado né? rss. As águas ficam com tom amarelado devido às rochas da piscina e seus sedimentos. O visual do entorno com aquele ar de limbo também é fantástico.

Lago Gladys no Monte Roraima Lago Gladys no Monte Roraima

6 - El foso

É buraco imenso no topo do Roraima, todo de pedra e com uma espécie de piscina natural lá embaixo. É surpreendente e desafiador! É possível tomar banho no fosso, mas para isso é necessário pular da altura de cerca de 7 metros. Para sair há uma gruta subterrânea com uma saída lateral. Como estava chovendo e frio, decidimos não descer, mas pode apostar que se estivesse com um tempo melhor eu tinha me jogado lá de cima! A água é escura e com coloração ferrosa.

El Fosso com lente molhada El Fosso em dia de chuva com lente molhada

7 - Vale dos Cristais

Como todos imaginam, é um vale cheio de cristais ;-). Há peças pequenas no solo e há algumas pedras recobertas parcialmente de cristais. Vale lembrar que nada pode ser retirado do Roraima, nem mesmo um pedacinho de cristal.

Vale dos Cristais no Monte Roraima Vale dos Cristais no Monte Roraima

A polícia venezuelana costuma fazer vistoria quando o viajante passa pela fronteira saindo do país. Leve somente lembranças, fotos e vídeos :-).

8 - Lago Gladys

O Lago Gladys fica próximo à proa, na parte parte do monte que pertence à Guiana. Fica a cerca de 3 horas de caminhada a partir do acampamento Quati. Quando passamos por ele estava chovendo muito e quase não o pudemos ver. Tudo indica que o banho nele é um pouco inviável, devido ao acesso difícil (fica rodeado por um paredão).

Lago Gladys no Monte Roraima Lago Gladys no Monte Roraima

9 - Mirante do Quati

O mirante do Quati permite uma vista incrível para o lado Brasileiro e Venezuelano. De lá se visualiza o monte Wei-Assipu e mais ao longe o monte Maringma e a localidade chamada de Cabeludo. Do lado do Brasil essa região está dentro do Parque Nacional do Monte Roraima.

Selfie nas alturas do Mirante do Quati Selfie nas alturas do Mirante do Quati

Esse foi o mirante do qual tivemos a melhor vista. Chegamos no hotel Quati cerca de 3 horas da tarde e mesmo tendo enfrentado uma chuva fina o dia todo, logo após a chegada abriu um inesperado céu azul e todos saímos correndo para o mirante.São cerca de 20 minutos caminhando a partir da Gruta do Quati. Além da vista fantástica há pedras curiosas, que parecem terem sido colocadas desta forma por humanos, mas sabemos que são resultado dos eventos geológicos peculiares do Monte Roraima.

10 - Proa

A ponta do Monte Roraima, que é virada para o norte  (lado da Guiana), é a parte mais famosa do monte, mesmo não sendo a mais visitada. Tem esse nome por que lembra muito a proa de um navio. A partir do ponto de subida, chamado de "La Rampa" e que fica do lado venezuelano, a proa é o ponto mais distante. É uma longa trilha.

Do hotel Cuati dá para ir e voltar no mesmo dia, se estiver com tempo bom. Devido à distância muitos guias/agências não levam os visitantes até a proa. Mas nosso guia estava disposto.  No segundo dia no Hotel Cuati saímos debaixo de chuva em direção à proa. Já estávamos todos molhados quando saímos e o tempo estava bem feio. Mesmo assim prosseguimos nossa caminhada por cerca de 3 horas.

La Proa no Monte Roraima La Proa no Monte Roraima

Apesar de parecer toda de rocha a montanha tem no seu platô charcos, rios e córregos. Alguns são perenes e outros só existem na época de chuva. Quando chove muito o volume desses rios aumenta muito. Como a chuva estava cada vez mais aumentando o nosso guia alertou que se cruzássemos o próximo rio e o volume aumentasse muito poderíamos não conseguir voltar e ficaríamos "presos" na parte da proa. Como não tínhamos levado as mochilas grandes (ficaram no Hotel Cuati) e como o tempo estava muito fechado (provavelmente não veríamos nada na Proa) decidimos voltar. Chegamos bem perto, mas por prudência voltamos.

11 - Ponto triplo

Nesse ponto há a tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana. Há um marco de concreto com três faces onde se pode ler o nome do Brasil, da Venezuela e da Guiana em cada face (o da Guiana está bem apagado).

A curiosa tríplice fronteira no Monte Roraima A curiosa tríplice fronteira no Monte Roraima(vídeo)

Trata-se somente de um ponto geográfico-político e não tem nenhuma atração natural especial (além das pedras misteriosas sempre presentes no Roraima). O legal mesmo do ponto é saber que podemos "cruzar" a fronteira de três países em segundos e sem ter que passar pela imigração :-).

 

HOTÉIS e Acampamento no Monte Roraima

Devido à sua história geológica, há muitas cavernas e grutas no topo do Monte Roraima. As cavernas que têm mais espaço,  que oferecem proteção da chuva (mesmo que parcial) e que tem uma área onde se consegue armar as barracas são muitos usadas para acampamento. Como chove muito no Monte Roraima, armar a barraca numa área aberta faria com que tivéssemos dificuldade para cozinhar, organizar as coisas e até mesmo bater um papo.

Acampamento no hotel Índio no Roraima Acampamento no hotel Índio no Roraima

Essas áreas cobertas oferecem um apoio muito importante para as expedições que sobem o Roraima. Muitas têm inclusive estruturas de pedra que servem como banco e como mesa (parecem até terem sido esculpidas para isso). Por todas essas comodidades que oferecem aos aventureiros são conhecidas como hotéis. Há muitas cavernas, mas as mais conhecidas são: Hotel Índio, Hotel Principal e Hotel Quati. São marcados pelos pontos em azul no nosso mapa ilustrativo. As duas primeiras ficam perto do final da subida da La Rampa e o Hotel Quati fica em território Brasileiro, próximo ao Mirante Quati. Quando você ouvir falar dos "hotéis" do Roraima vai ficar claro do que se trata.

Se tiver alguma dúvida ou quiser alguma dica fique à vontade para comentar. Se pudermos ajudar teremos prazer em contribuir. A viagem ao monte Roraima foi fantástica e queremos que outros viajantes possam ter a mesma experiência que tivemos. Não deixe de ir ao Roraima!

Encontrou erros nesse post? Comunique!

Roteiro e Localização

Último local: Monte Roraima + detalhes
RBBV Código Criativo