Relato de viagem

Trecking no Monte Roraima: percursos, dificuldades e o dia a dia na trilha

 

A trilha do Monte Roraima é considerada de nível médio-difícil. Dependendo do percurso que você for fazer no topo do monte o total da distância pode chegar a cerca de 90 km para ir, voltar e visitar os pontos no platô. Normalmente quem vai para o Roraima já fez outras trilhas de trajetos/intensidades menores, mas isso não é um requisito, apesar de recomendável. O que você precisa na verdade é ter disposição, bom condicionamento e não ter frescuras, pois a vida na trilha exige adaptação, versatilidade, e desprendimento em relação a conforto.

A trilha para o Roraima inicia em Paraitepuy, um lugarejo dentro do Parque Nacional Canaíma, na Venezuela. Para chegar a Paraitepuy é necessário partir de Santa Elena de Uairén. Veja todo o trajeto, logística  custos necessários para esse trajeto e conheça também um pouco da história, fauna, clima e flora do Monte Roraima.

Conforme explicado no relato sobre opções e custos de contratação de guia e agência para o subir o Monte Roraima há diversas opções de pacote com quantidades diferentes de dias. O nosso relato da trilha do Roraima é baseado numa trilha de 7 noites e 8 dias.

1º DIA: PARAITEPUY AO ACAMPAMENTO TEK

Distância: 12 km | Esforço: moderado 
Temperatura: 14-19 graus | Tempo: 4,5 horas

Iniciando a trilha para o Monte Roraima Iniciando a trilha para o Monte Roraima

Trecho inicial da trilha com algumas subidas e descidas mas com predominância de planalto e savana. Serve para ir esquentando o corpo! Tem água para beber em todo o trajeto.

Veja mais detalhes sobre esse trecho.

 

 

2º DIA: ACAMPAMENTO TEK Ao ACAMPAMENTO BASE

Distância: 11 km | Esforço: intenso
Temperatura12-14 graus | Tempo4 horas

Acampamento Base Militar no pé do Monte Roraima Acampamento Base Militar no pé do Monte Roraima

Trecho com inclinações e subidas significativas, exigindo bastante esforço nas subidas. Apesar de mais curto esse trecho exige muito mais disposição. A temperatura cai significativamente em relação ao trecho inicial. No final desse trecho se acampa no pé da montanha, de onde se tem uma vista incrível do Monte Roraima.

Veja o relato sobre esse trecho da trilha.

3º DIA: ACAMPAMENTO BASE AO TOPO

Distância: 3 km | Esforço: muito intenso 
Temperatura: 8-10 graus | Tempo4 horas

Topo do Monte Roraima Topo do Monte Roraima

O trecho mais difícil. Além de exigir um esforço muito intenso é também perigoso devido à inclinação e dificuldade de subida. Há muitas pedras soltas e áreas escorregadias. A maior parte da trilha é subindo com uma inclinação de mais de 60 graus. São necessárias paradas de 15 em 15 minutos e muita água e lanche para vencer esse trecho. Mas apesar do esforço ao final se tem uma grande recompensa: uma vista incrível do topo do Roraima.

Veja como foi nossa subida até o topo.

4º DIA: HOTEL ÍNDIO ao ACAMPAMENTO CoaTI e punto triple

Distância: 10 km | Esforço: moderado 
Temperatura: 5-10 graus | Tempo: 6 horas

Punto Triple com Gregory e Santiaga Punto Triple com Gregory e Santiaga

Nesse trecho caminhamos já no platô do Monte Roraima, visualizando suas formações rochosas enigmáticas e cenário de filme de purgatório quando está nublado e de paraíso quando está com sol. As variações de clima e chuva são rápidas e constantes, podendo estar tudo fechado e chovendo num instante, depois abrir um sol e céu azul por 5 minutos e depois voltar a ficar tudo fechado. Apesar da caminhada não exigir muito esforço por ser mais ou menos plano o guia nesse trecho é essencial, pois o topo do Roraima é um labirinto para os que não o conhece. Nesse trecho passamos pelo punto triple, marco que define o local da fronteira em pleno Monte Roraima entre Venezuela, Brasil e Guiana.

Veja mais detalhes no post sobre as atrações do topo do Roraima

5º DIA: Coati E TENTATIVA PROA

Distância: 8 km | Esforço: moderado 
Temperatura: 5-10 graus | Tempo: 6 horas

Passando uma chuva na ida para a Proa Passando uma chuva na ida para a Proa

No quito dia nós fizemos uma tentativa de ir até a Proa (a parte pontiaguda e mais famosa do monte). Estava chovendo muito e muito frio, mas o desejo de ir até lá era grande. Iniciamos a caminhada já molhados e o frio de cerca de 7 graus só foi vencido devido ao ritmo intenso da caminhada. Apesar da vontade tivemos de voltar do meio do caminho pois o tempo piorou e havia o risco de um dos rios que passamos transbordar com a chuva e não conseguirmos voltar depois. Voltamos e passamos o resto da tarde no hotel Coati jogando basquete numa cesta improvisada com um velho balde de mineração deixado para trás por alguém.

Veja mais detalhes no post sobre as atrações do topo do Roraima.

6º DIA: DO Coati Ao HOTEL Principal e passagem pelo el fosso

Distância: 10 km | Esforço: moderado 
Temperatura: 5-10 graus | Tempo: 3 horas

El Fosso com lente molhada El Fosso com lente molhada

No terceiro dia no topo do Roraima nós fomos para o Hotel Principal, bem próximo ao Hotel Índio, onde tínhamos ficado quando subimos. Fizemos um trajeto um pouco diferente para passar pelo El Fosso, um buraco imenso no topo do Roraima, todo de pedra e com uma espécie de piscina natural lá embaixo. É possível tomar banho no fosso, mas para isso é necessário pular da altura de cerca de 7 metros. Para sair há uma gruta subterrânea com uma saída lateral. Fizemos esse trecho todo sob chuva fina com raros momentos de sol (que rapidamente aproveitávamos para tirar fotos). A dormida na Gruta Principal nos propiciou uma tarde e manhã com uma vista incrível.

Veja mais detalhes no post sobre as atrações do topo do Roraima.

7º DIA: DO hotel principal AO ACAMPAMENTO TEK

Distância: 15 km | Esforço: muito intenso 
Temperatura: 7-20 graus | Tempo: 8 horas

Na trilha para o Monte Roraima Na trilha para o Monte Roraima

Depois de três dias no topo chegava a hora de descer. Do ponto de vista do condicionamento a descida era sabidamente mais leve, mas do ponto de vista muscular não. A descida da La Rampa, que tem uma inclinação assustadora, por quase três horas deixa qualquer perna mole, além de ser muito perigoso. É muito mais fácil se machucar descendo do que subindo. Esse também é o trecho mais crítico para os que tem algum problema no joelho. Chegamos ao campamento base 12:00 e mal podíamos ficar em pé. Não estávamos cansados, mas os músculos das pernas, tinham fadigado de tanto ficar flexionado/agachado durante a longa e escorregadia descida. No Acampamento Base tivemos um almoço rápido e depois continuamos até o acampamento Tek.

Mais detalhes sobre esse trecho em breve.

8º DIA: DO ACAMPAMENTO TEK A PARAITEPUY

Distância: 12 km | Esforço: moderado 
Temperatura: 17-27 graus | Tempo: 4 horas

Ponte na trilha para  Paraitepuy Ponte na trilha para Paraitepuy

No último dia partimos do acampamento Tek. Já estávamos totalmente recuperados das dores musculares nas pernas. Conseguimos imprimir um bom ritmo e chegamos em Paraitepuy uma hora antes do guia. no caminho encontramos um grupamento militar em sentido contrário que estava indo ao monte. Estava bem quente e deu pena dos milicos carregando armas e derretendo nas fardas e botas quentes :-). Encontramos também outros grupos iniciando a trilha e quse sempre perguntavam como tinha sido, sobre o clima e sobre as distâncias.

 

Encontrou erros nesse post? Comunique!

Roteiro e Localização

Último local: Monte Roraima + detalhes
RBBV Código Criativo